Vereadora Benny Briolly afirma que vai processar deputado estadual por racismo e transfobia

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Eleita a primeira vereadora trans na cidade de Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Benny Briolly (Psol) informou que vai processar o deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) por racismo e transfobia, após as falas do parlamentar em sessão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Na última terça-feira (17), Amorim chamou Benny de “aberração da natureza”.

Benny Briolly vai registrar um boletim de ocorrência contra o deputado estadual – Foto: Jefferson Rios

Além disso, Benny disse que vai registrar um boletim de ocorrência ainda nesta sexta-feira (20) na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) pelas falas em plenário. Durante o uso da palavra, Amorim utilizou linguagem ofensiva contra a vereadora.

“Um vereador homem, pois nasceu com pênis e testículos, portanto é homem. Agora temos uma aberração do alfabeto inteiro designando o que eles chamam de gênero aleatórios. Eu sou do tempo em que existiam homens, mulheres, bichas e sapatões. Esses soldados do mal fedendo a enxofre, o vereador homem de Niterói parece um Belzebu, porque é uma aberração da natureza”, disse o deputado estadual se referindo a Briolly.

Em entrevista à Marie Clarie, Briolly falou sobre o caso. “O sentimento é que nós temos no parlamento mais um criminoso, que além do crime de transfobia e racismo está ocupando um espaço de poder para incitar a violência e o extermínio de nossos corpos. Amorim é mais um deputado que corrobora com a execução dos corpos de pessoas trans. Para mim é um criminoso que deveria estar pagando por seus atos se a justiça de fato valesse para todos”, lamenta.

Leia também: Tribunal de Justiça suspende sessão que poderia cassar o mandato do Vereador Renato Freitas

A vereadora lembrou ainda do caso em que Amorim quebrou a placa em homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada em 2018. “É um criminoso que incita a violência e é o mesmo criminoso que quebrou a placa de Marielle Franco, uma mulher que foi executada. Ele está incitando ódio pelo extermínio de mulheres negras e alguma ação tem que ser tomada”, conclui.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.