Recorde: Sete artistas negros levaram Emmy 2020

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Regina King com a blusa de Breonna Taylor Foto: Reprodução

Superando o ano de 2018, Emmy Awards 2020 premiou neste final de semana (20 e 21/09) sete artistas negros.  O evento já havia batido recorde nas indicações, com 34.3% nomeados negros. Levaram a estatueta: Eddie Murphy, Maya Rudolph, Ron Cephas Jones, Regina King, Yahya Abdul-Mateen II (ambos de “Watchmen”), Uzo Aduba (de “Mrs. America” ) e Zendaya (de “Euphoria”).

Devido a pandemia do coronavírus, a cerimônia aconteceu em uma transmissão ao vivo, mas com cada participante em sua casa. Os prêmios foram enviados para a casa dos ganhadores, imagens de plateia fake e divulgação dos vencedores de diversas categorias ao longo da semana.

O prêmio na categoria Melhor Atriz em Minissérie ou Filme foi para Regina King. A artista recebeu o quarto Emmy de sua carreira por Watchmen, minissérie da HBO em que interpretou Angela Abar e seu alter-ego Sister Night.

A vencedora do prêmio de melhor atriz, assim como, Uzo Aduba, Sterling K. Brown e Yvonne Orji aproveitaram o prêmio para se manifestarem sobre a brutalidade e racismo policial nos EUA. Regina vestiu uma camiseta com o rosto de Breonna Taylor (jovem negra assassinada pela polícia dentro da própria casa há seis meses). Uzo Aduba, de “Mrs America”, também usou uma blusa com o nome da Breonna. Sterling K. Brown, de “This is Us” vestiu uma camiseta com a sigla BLM, de “Black Lives Matter” (Vidas Negras Importam), e Yvonne Orji, de “Insecure”, raspou o cabelo com o símbolo do movimento.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.