“Quantos mais irmãos vão morrer até a sociedade entender que isso precisa parar?” questiona irmão de jovem negro asfixiado por policiais nos EUA

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Daniel Prude estava algemado e imobilizado, mas foi encapuzado – Foto: AP Agency

Mais um caso de violência policial contra um homem negro foi divulgado nesta quarta-feira (03). Um vídeo mostra o momento que policiais colocam um capuz na cabeça de um homem nu, identificado como Daniel Prude. O caso aconteceu no dia 23 de março, em Rochester, no estado de Nova York, mas só agora o vídeo foi divulgado. Prude morreu uma semana depois, por asfixia.

Na noite do crime, a polícia foi chamada pela própria família de Prude, que buscava ajuda para o rapaz que tinha problemas mentais. Nas imagens divulgadas, é possível ver que o homem colabora a todo o momento, seguindo as ordens dos policiais de se manter no chão. Daniel Prude estava com as mãos nas costas, algemado e pedia para que o deixassem ir.

Ainda preso no chão, o rapaz começa a se debater e pedir para ir embora. É então que um dos policiais segura a cabeça de Prude no asfalto, apertando o capuz, enquanto o outro se ajoelha sobre as costas da vítima, numa ação que dura cerca de dois minutos. Os policiais chegam a rir do jovem, enquanto ele se debatia no chão.

Momento em que um dos policiais ajoelha sobre Daniel Prude – Foto: AP Agency

De acordo com a agência Associated Press, Daniel Prude morava em Chicago e havia acabado de chegar em Rochester para visitar a família. O irmão Joe Prude afirmou que ligou para a emergência após o jovem ter saído de casa com aparente confusão mental: “Eu telefonei para pedir ajuda para o meu irmão. Não para ele ser linchado”, disse Joe em entrevista.

Um médico concluiu que a morte de Prude foi um homicídio causado por complicações de asfixia por ação física. O relatório aponta como fatores complicadores a situação de delírio em que Prude estava e a intoxicação por fenciclidina, droga analgésica que causa alucinações.

O irmão do Daniel Prude criticou e questionou a ação da polícia durante entrevista: Como vocês o veem e não dizem: ‘O homem está sem defesas, preso e nu no chão. Ele já está algemado’? Por favor! Quantos mais irmãos vão morrer até a sociedade entender que isso precisa parar?, questionou.

Um dos policiais envolvidos no caso argumentou que colocou o capuz porque Prude cuspia na direção deles e que eles estavam preocupados com uma eventual contaminação pelo novo coronavírus. A investigação está a cargo da procuradora-geral de Nova York, Letitia James. 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.