Policial mata trabalhador ao confundi-lo com assaltante em Alagoas

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por Brunna Moraes 

O último domingo (22) foi marcado por desespero e revolta na capital alagoana. Um policial, identificado como Clevison de Almeida Teixeira, efetuou disparos na tentativa de impedir um assalto e acabou matando um trabalhador. Marcos Firmino dos Santos, de 34 anos, foi morto no momento em que passava na Avenida Comendador Gustavo Paiva, no bairro da Cruz das Almas, em Maceió. 

Cabo Clevison de Almeida, autor dos disparos que vitimou Marcos Firmino – Foto: Divulgação

Marcos era pasteleiro em uma padaria próxima ao bairro e pilotava uma motocicleta quando foi atingido por um disparo de arma de fogo na região da barriga. Ele era pai de cinco crianças e ia buscar a esposa no trabalho, como era de costume.

Segundo informações da delegada Tacyane Ribeiro, responsável pelo caso, o PM trabalhava como segurança num estabelecimento comercial no bairro, quando flagrou um assalto num ponto de ônibus e efetuou disparos contra os assaltantes. Um dos tiros atingiu Marcos que morreu antes mesmo de receber socorro. Após os disparos, o policial acionou uma guarnição e permaneceu junto à vítima por 20 minutos antes de ir embora. 

Vídeo dos disparos do cabo Clevison de Almeida

A partir das imagens registradas por câmeras de videomonitoramento do local, a delegada avaliou que houve um despreparo na ação do policial, que atingiu Marcos, mas poderia ter feito mais vítimas. “Quando a gente vai para uma academia militar, que é muito rígida, o padrão é não abordar ninguém sozinho. Ele efetuou diversos disparos em uma avenida bastante movimentada e a ação mostra o despreparo desse profissional. Ao analisar o vídeo, percebemos que ele sabia o que estava fazendo e o resultado que, posteriormente, seria de sua responsabilidade”, declarou ela. 

O irmão da vítima, Adelson Ferreira dos Santos, informou que, ao chegar no local do assassinato, os populares que se aglomeravam tratavam a vítima como assaltante. A informação de que Marcos seria o assaltante envolvido na situação foi divulgada e propagada nas redes sociais. “Meu irmão era um ótimo pai de família e trabalhava na mesma empresa há 12 anos. Além da dor da perda, tivemos que enfrentar gente filmando o corpo do Marcos, falando mentiras, dizendo que ele era assaltante”, relatou o irmão. 

Ainda de acordo com a delegada, está descartada a hipótese de que o segurança teria confundido Marcos com o assaltante. O cabo da Polícia Militar se apresentou à sede da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na última terça-feira (24). Ele prestou depoimento e foi liberado em seguida. Por ter realizado diversos disparos em uma avenida movimentada, o policial responderá por homicídio doloso, quando há intenção de matar. 

Em depoimento, o suspeito relatou que efetuou cinco disparos contra os possíveis bandidos e que foi motivado pelo desejo de proteger as pessoas que estavam sendo assaltadas. Além de atingir o trabalhador, o PM também acertou um dos assaltantes que conseguiu fugir. A arma de fogo usada na ação já foi entregue para perícia e um inquérito será encaminhado para a Corregedoria da PM. A justiça alagoana irá decidir sobre o afastamento do cabo de suas funções na Polícia Militar.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.