Grupo neonazista ameaça lideranças de movimentos negros; PGR investiga

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A Procuradoria Geral da República (PGR) realizou abertura de inquérito para investigação de ameaças a lideranças de movimentos negros. A ação tem como alvo uma organização neonazista que comentou em um vídeo na internet do grupo “A Nossa Luta Unificada” (Anlu), de 2019, as seguintes frases: “vão morrer comunistas” e a frase “Ein Volk, ein Reich, ein Führer”, que significa “Uma nação, um império, um líder”.

O grupo que realizou o comentário se identificou como “Milícia de Combatimento do Brasil”. No vídeo, de 15 de junho de 2019, do canal do YouTube da organização Anlu, os participantes estavam debatendo a situação política brasileira e as ações do Governo Bolsonaro. Os representantes dos movimentos “A Nossa Luta Unificada” (Anlu) e Agentes de Pastoral Negros e Comissão Brasileira de Justiça e Paz, entregaram ao subprocurador-geral da República, Carlos Alberto Vilhena, o documento com a denúncia na audiência do dia 30 de setembro. 

De acordo com Nuno Coelho, membro da Agentes de Pastoral Negro, o Procurador aceitou a denúncia, abriu a investigação e vai encaminhar para a Policia Federal, “A procuradoria agora vai fazer toda a investigação e nos dar garantia de segurança e acompanhamento a cada uma das pessoas envolvidas ali na ameaça”, informou Nuno.

Leia também: Para ampliar caixa eleitoral, partidos miram candidaturas negras

As entidades Movimento Negro Unificado (MNU), União de Negros pela Igualdade (Unegro), Coletivo de Entidades Negras (CONEN), Fórum Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (FONSANPOTMA) junto com “A Nossa Luta Unificada” (Anlu) e Agentes de Pastoral Negro, estão organizando um ato pela internet contra o nazismo que vai acontecer em 7 de outubro às 20 horas.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.