Pela segunda vez, defensora pública que chamou entregadores de “macaco”, não comparece a depoimento

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A defensora pública aposentada, Cláudia Alvarim Barrozo, não compareceu para prestar depoimento novamente. É a segunda falta da acusada. A primeira intimação para depor foi feita na quinta-feira (5) e a falta foi justificada com a alegação de ter outros compromissos, e ela mesma pediu para depor nesta data.

A ex-defensora pública já responde a mais seis processos – Foto: Reprodução

Cláudia chamou os entregadores, Jonathas Souza Mendonça e Eduardo Peçanha Marques, de macaco, em 30 de abril, após eles estacionarem em frente à casa da defensora. Ela pediu para que tirassem o veículo, entretanto, o entregador que estava dentro do carro não possui habilitação. A partir desse momento a aposentada tentou quebrar o vidro e o espelho retrovisor do automóvel e, por isso, Eduardo começou a filmar, foi quando ela chamou os dois de “palhaço, otário, babaca, macaco”.

De acordo com o delegado Carlos César, a pena pode variar de um a três anos de prisão. Cláudia Barrozo foi aposentada por invalidez, em novembro de 2016, segundo a Defensoria Pública do Rio de Janeiro. Ela já possui 6 passagens pela polícia, das quais 4 são por injúria e as outras duas por lesão corporal e constrangimento. 

Leia também: Mesmo com reconhecimento fotográfico, juíza nega prisão de bombeiro que atirou em funcionário do McDonalds

Segundo Joab Gama de Souza, advogado de defesa de Jonathas e Eduardo, a investigada usa o seu ex-cargo como manobra. “Como ela é acusada, o delegado solicitou que fosse ouvida, mas não tem obrigação legal de ir e fazer provas contra ela própria. Provavelmente, está usando seu posto de defensora pública como manobra. Inclusive, é um absurdo pensar que ela é defensora, já que a defensoria tem por objetivo a defesa dos necessitados. Ainda mais quando se trata de uma questão racial”

O advogado também informou que os entregadores não esperavam ter a proporção que o caso tomou, mas seguem normalmente suas vidas. “Continuam trabalhando normalmente e esperam que isso sirva para que outras pessoas não passem mais pela mesma situação”, conclui Joab de Souza.

APOIO-SITE-PICPAY

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.