No RJ, homem sofre tentativa de homicídio motivada por racismo: ”temo por ele e pela família, pois os autores são vizinhos”, diz companheira da vítima

APOIE O NOTÍCIA PRETA

”Eu venho aqui desesperada pois temo pela vida dos pais dele, pela vida dele e de sua família, pois os autores seguem em liberdade e ainda são vizinhos”. Esse depoimento foi feito nas redes sociais da modelo e produtora executiva Maria Carolina Oliveira, que na última quarta-feira (15) testemunhou o seu companheiro, Wallace Monção, ser agredido na Vila Isabel, no Rio de Janeiro.

Na publicação, Carolina detalhou que a agressão aconteceu na última quarta-feira (15), por volta do meio-dia, quando ela e o companheiro precisaram voltar em casa para buscar um protetor solar. ”Desconfiei da demora quando vi o Wallace sair ensanguentado, com olhos machucados e camisa rasgada”, contou. ”Ao entrar na vila, Wallace foi provocado pelo filho do casal com xingamentos e ameaças para ser filmado de propósito até se descontrolar e ele e o rapaz trocarem agressões. Ao trocar agressões com o rapaz, Wallace foi juntado pelos três – pai, mãe e filho -, e na confusão, foi segurado pela mãe e filho, enquanto o pai tentou o golpear com uma faca. Na briga, Wallace segurou a lâmina para proteger sua vida e com muita sorte conseguiu sair da vila”, complementou.

Wallace teve um ferimento no tendão da mão esquerda e precisou ser internado no Hospital Municipal Souza Aguiar, que fica localizado na área central do Rio de Janeiro. Ainda de acordo com a publicação, ele aguardava por uma cirurgia.

”Ele trabalha com a moto, sua fonte de renda e por conta da lesão não sabemos quando ele poderá voltar”, ressaltou Carolina fazendo um apelo as autoridades. ”Não podemos deixar que uma família trabalhadora e honesta, perca sua conquista da casa própria, sua liberdade e até mesmo sua vida, por conta de mais um caso de racismo. Eu faço esse post por desespero pois tenho medo da impunidade e da injustiça. Não podemos deixar isso passar!”, concluiu na publicação do Instagram.


CASO ANTIGO

Apesar do ocorrido na ultima quarta-feira (15), Maria Carolina Oliveira contou na publicação que as ameaças a Wallace e sua família já vinham acontecendo e que, inclusive, eles já haviam procurado a polícia.

”A briga, que se estende há anos, já tem inclusive queixas de ambas as partes, principalmente sobre crime de racismo. Neste último ano testemunhei diversas provocações e xingamentos racistas, sendo a última no dia 13/09, terça-feira, a noite quando a mãe do Wallace chegou do trabalho junto da vizinha, que foi para a janela xingar de macacos, que “saíram da árvore, mandando “voltar para a comunidade”, entre outras agressões verbais. Ouvimos tudo calados justamente para não perder a razão. Até por ser algo recorrente com pessoas do mesmo ambiente de convívio”, denunciou.

”O Wallace é nascido e criado na Mangueira com sua família e graças a muito trabalho e luta conseguiram em 2005 comprar sua casa própria fora do morro. Anos depois, a família de vizinhos da casa ao lado começaram com provocações e xingamentos racistas contra a família do Wallace”, pontuou Carolina em publicação no Instagram

APOIO-SITE-PICPAY

Thiago Augustto

Um filho negro adotado. Thiago Augustto faz questão de marcar sua existência pela raça e pela oportunidade de viver. Transformou o tabu da adoção num grande motivo de orgulho. É criador de conteúdo e palestrante. Se formou em jornalismo em 2014, desde então, trabalha na TV Globo Recife, atuando como produtor e repórter. No Notícia Preta, é editor e coordena os colaboradores das regiões norte e nordeste. Em 2021, criou o Futuro Black - um banco de talentos e de fontes profissionais pretas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.