Mulheres ricas realizam seis horas de trabalhos do lar a menos que as pobres

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Mulheres que pertencem aos 20% de maior renda da população brasileira gastam em média 18,2 horas por semana cuidando de outras pessoas ou realizando afazeres domésticos. Enquanto isso, as mulheres que estão entre os 20% de menor rendimento dedicam 24,1 horas semanais a essas mesmas atividades. O que significa que mulheres ricas realizam menos trabalho doméstico que mulheres pobres, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em todas as faixas de renda, porém, as mulheres cuidam muito mais da casa do que os homens.

Os dados são do estudo Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil, cuja segunda edição foi publicada nesta quinta-feira (04) pelo IBGE.

No Brasil, as desigualdades entre negros e brancos são imensas. Os negros são 75% entre os mais pobres; brancos, 70% entre os mais ricos . O que significa que as mulheres negras realizam mais trabalhos do lar do que as brancas.

mulheres ricas realizam menos trabalhos do lar que mulheres pobres
mulheres ricas realizam menos trabalhos do lar que mulheres pobres

Leia também: Levantamento da USP revela que auxílio emergencial amenizou desigualdade de renda para mulher negra

Ricas realizam menos trabalhos do lar que mulheres pobres

No levantamento, a fatia de 20% mais pobres considera famílias com renda per capita (por pessoa) de até R$ 350. Já os 20% mais ricos têm uma grande desigualdade interna, indo desde domicílios com rendimento per capita de R$ 1,7 mil até R$ 164 mil.

As mulheres ricas realizam menos trabalhos do lar que mulheres pobres, isso se explica, segundo o IBGE, porque as de maior renda terceirizam parte dessas tarefas para as de menos recursos, através do trabalho doméstico de babás, faxineiras e cozinheiras.

Além disso, as mulheres mais abastadas podem pagar por creches privadas para seus filhos pequenos, num país que sofre com a deficiência crônica de vagas em creches públicas.

Desigualdades entre mulheres ricas e mulheres pobres

Foto: Agência EBC

A desigualdade no acesso a creches também se revela nas diferentes taxas de ocupação entre mulheres brancas e negras com crianças pequenas em casa.

Menos da metade (49,7%) das mulheres pretas ou pardas com crianças de até 3 anos de idade no domicílio estavam ocupadas em 2019, enquanto entre as mulheres brancas, a proporção era de 62,6%.

Os dados revelam que, além da histórica desigualdade entre homens e mulheres, também são grandes as iniquidades entre as próprias mulheres, considerando recortes de renda, cor ou raça, regiões do país e áreas urbanas e rurais, por exemplo. Segundo o IBGE, essas diferenças devem ser levadas em contas na elaboração de políticas públicas para mitigar desigualdades.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.