Miliciano suspeito de mandar matar Marielle é preso na Paraíba

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Almir Rogério Gomes da Silva, miliciano, chefe da Gardênia Azul e do Morro do Tirol, e suspeito de mandar matar Marierlle Franco, foi preso nesta quarta-feira (28) por Agentes da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), da Polícia Civil da Paraíba, por conta de uma execução cometida em 2020.

O delegado responsável pelo caso, Diego Beltrão, informou que outras pessoas foram presas em outras regiões do estado e que “há fortes indícios de que o miliciano estava envolvido com tráfico de drogas e planejava ataques contra bancos do estado”. Além de Almir, outro homem também foi preso no município de Queimadas, a 140 km de João Pessoa. Segundo o delegado, a prisão atendeu a uma ordem do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) pelo assassinato de Eliezio Victor dos Santos na zona oeste do estado fluminense.

A relação com o caso Marielle e do motorista Anderson Gomes se deve a delação premiada feita por Julia Lotufo, viúva do ex-capitão da Polícia Militar e miliciano, Adriano Nobrega, para o MP. Adriano foi morto no interior da Bahia no ano passado. Ela afirma que Adriano não participou da emboscada à vereadora, mas ouviu que a ordem da morte partiu do alto-comando da Gardênia Azul.

Leia também: PF prende mulher de Ronnie Lessa que responde por matar Marielle Franco por tráfico internacional de armas

Segundo nota da Polícia Civil da Paraíba,  as autoridades policias do Rio de Janeiro confirmaram a periculosidade do preso e afirmaram que ele é um dos chefes de milícias mais procurados no Rio de Janeiro.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.