Levantamento mostra que o Exército Brasileiro teve apenas 11 generais negros

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Uma pesquisa realizada pelo jornalista e escritor Sionei Ricardo Leão em seu livro “Kamba’Racê”, mostra que, desde a fundação do Exército Brasileiro, em 1822, apenas 11 generais eram negros e, dentre eles, nenhum chegou a ser quatro estrelas, posto mais alto da instituição. 

Sala do alto comando do Exército Brasileiro – Foto: Forças Armadas

A pesquisa revela ainda que o Exército não tem controle nem copila esse tipo de dado e para fazer o levantamento, o jornalista recorreu a documentos históricos, fotos e entrevistas com os próprios militares e seus familiares. “A ideia do levantamento é valorizar a contribuição histórica da população negra dentro do Exército. Daí a importância de listar aqueles que chegaram aos cargos mais altos da instituição — uma forma de exaltar a representativa e servir de exemplo para demais militares”, afirma Leão em entrevista ao jornal O Globo. 

Atualmente, existe apenas um general negro na ativa do Exército Brasileiro, André Luiz Aguiar Ribeiro, que foi promovido em 2019, e é comandante da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada. De acordo com Leão, dos 11 generais, 6 foram promovidos nos últimos seis anos. 

Leia também: STF debate mortalidade da Polícia Militar do Rio de Janeiro

Leão ressalta que a tendência é que no futuro existam mais generais negros e com mais condecorações e, ainda segundo ele, o objetivo da pesquisa é valorizar a contribuição histórica da população negra. “E, nisso, a representação dos generais é importante. Assim como é importante ter negros no Congresso, na Academia, também é essencial ter negros nesses altos níveis das Forças Armadas. Vamos pensar em um jovem que quer entrar na instituição, é bom que ele tenha um modelo, que ele fale ‘eu quero ser um general’. E se ele for negro, ele possa falar ‘quero ser um general negro, como esse general’. Você precisa ter modelos, pessoas em que se espelhar. Isso é fundamental”, conclui.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.