Leudji Luna, Margareth Menezes e Luciane Dom são atrações do MIMO Festival 2021

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Dias 26, 27 e 28 de março pelo canal do MIMO no Youtube

Depois de ser cancelado em 2020, devido à pandemia da covid-19, o MIMO Festival retorna este ano no modo virtual, o MIMO Digital, com entrada gratuita.

Shows inéditos e exclusivos, filmes, palestras e workshops serão transmitidos pelo canal do MIMO Festival no YouTube. O festival dedicará um dia para cada cidade que faz parte de seu roteiro presencial: o MIMO São Paulo acontecerá no dia 26 de março (sexta), o MIMO Rio de Janeiro em 27 de março (sábado) e o MIMO Olinda em 28 de março (domingo).

Destaque do segundo dia de festival, Luciane Dom traz seu clima enérgico para o palco e seu estilo, que reúne música brasileira com reggae, sons do candomblé e sua visão moderna do jazz. O carioca Zona Norte Caio Prado traz em seu trabalho atitude, luta, ideias frescas e um trabalho de música popular brasileira contemporânea, que dialoga com diversos públicos. Encerrando o segundo dia de apresentações, a cantora baiana Luejdi Luna apresenta seu novo álbum, “Bom mesmo é estar debaixo d’água”, com faixas que transitam entre o jazz e os ritmos africanos e são como um mergulho no mar quente da Bahia.

A FORÇA DA MULHER NEGRA NA SUAVIDADE DA VOZ

A voz doce e o embalo dançante colocaram a artista sob os holofotes da MPB e dos críticos na Europa. A cantora, que tem nome de rainha africana e está lançando o novo álbum, “Bom mesmo é estar debaixo d`água” – gravado durante a sua gravidez, em plena pandemia – leva para o público letras carregadas de afetividade, empoderamento, negritude e experiências. Luedji ocupa o topo das músicas mais ouvidas nas plataformas digitais, com destaque para o single “Banho de folhas” que já soma mais de 9 milhões de plays no Spotfy. Em um formato repaginado, mas sem perder sua essência, o MIMO oferece ao público uma programação gratuita, moderna e plural no conforto e proteção de casa. Produzido pela Lu Araújo Produções, o MIMO Festival 2021 é uma realização da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo do Governo Federal. Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio master da Petrobras.

MARGARETH MENEZES EM DEBATE SOBRE ARTES E RACISMO

Sempre valorizando a diversidade e a pluralidade, o MIMO Festival 2021 traz em sua programação não somente artistas negros em seu line-up, mas também uma mesa no Fórum de Ideias abordando o tema “O papel das artes no combate ao racismo” que contará com a participação de Margareth Menezes. Frente aos novos tempos que provocaram o cancelamento das edições em 2020, o festival, com patrocínio da Petrobras, redesenhou seu formato, criando uma nova experiência, o MIMO Digital. Com transmissão dias 26, 27 e 28/03 pelo canais do festival na internet, o evento mantém seu alto padrão de qualidade e a gratuidade.

SOBRE O MIMO

A curadoria e direção artística é de Lu Araújo, produtora com mais de 30 anos de carreira, e a direção do MIMO digital do experiente Jodele Larcher. Produzido pela Lu Araújo Produções, o MIMO é uma realização da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo do Governo Federal. Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio master da Petrobras.

O festival já realizou mais de 500 concertos, para um público de 1,85 milhão de pessoas, com apresentações memoráveis de Philip Glass, Chick Corea, Herbie Hancock, Pat Metheny, Buena Vista Social Club, Gotan Project, Jacob Collier, Goran Bregovic, Emir Kusturica, Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, Nelson Freire, Naná Vasconcelos, entreoutros grandes artistas.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.