Lei que prevê multas de R$ 1,1 mil a R$ 5,5 mil para casos de racismo em eventos esportivos é sancionada em Goiás

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Governo do Estado de Goiás sancionou lei que prevê que torcedores ou clubes de futebol sejam punidos com multas por atos de racismo em estádios de Goiás. A sanção foi feita na última terça-feira (31) e tem como objetivo responsabilizar pessoas e entidades por crimes.

O projeto foi proposto inicialmente em dezembro de 2019, mas só veio a ser aprovado no Plenário pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) em agosto deste ano. A lei prevê punições para infratores como advertência, multa de R$ 1.100,00 a R$ 5.500,00. Em casos de reincidência, o valor deve ser pago em dobro. Além da multa, o torcedor também será proibido de frequentar eventos esportivos por um período de 2 a 5 anos dependendo da gravidade da conduta.

Para clubes infratores, as penas variam de advertência. A multa de R$ 22.000,00 a R$ 33.000,00 em primeiros casos. Em casos de reincidência, o valor chega a R$ 66.000,00.

“Muitas vezes o brasileiro só cumpre a lei quando tem punição. Ainda estamos longe de vencer o racismo. Podemos educar as próximas gerações, o racismo parece algo enraizado dentro da sociedade. Quando dói no bolso, a pessoa pensa antes de cometer a infração”, comentou o deputado Karlos Cabral (PDT), autor do projeto de lei.

Celsinho chamou o quarto árbitro no intervalo da partida e apontou a pessoa que proferiu as ofensas racistas – Beno Küster Nunes/AGIF

Racismo no futebol

Em Goiás, o último caso teve como vítima o meia Celsinho, do Londrina, que foi chamado de “cabelo pesado”, “bandeira de feijão” e “um negócio imundo” por dois jornalistas durante uma partida contra o Goiás, em 17 de julho.

APOIO-SITE-PICPAY

Gabriella Reis

Jornalista, escritora e web-redatora. "Se ninguém te escuta, escreva!"

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.