Jornalista Julie Alves denuncia injúria racial ao fazer matéria em unidade de saúde no Rio de Janeiro

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Julie Alves alega ter sido chamada de macaca (Foto: Reprodução / Internet)

A repórter da CNT Julie Alves alega ter sido alvo de injúria racial na última quinta-feira (24), em uma unidade de saúde de Japeri, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A jornalista estava fazendo uma matéria sobre um lixão, localizado ao lado do posto.

Como local fica ao lado da unidade de saúde, Julie foi ao posto indagar a coordenação se eles tinham conhecimento daquela situação. Porém, naquele momento, foi impedida por um agente público, que usou palavras racistas e se valeu da força fisica para tentar impedir que a jornalista fizesse o seu trabalho.

“Ele me chamou de macaca, de piranha, me mandou para a p… que pariu. Isso nunca tinha acontecido comigo. Ele partiu para cima de mim. Deu um tapa na minha mão, pensei que ele fosse dar na minha cara, e o microfone caiu. Eu me abaixei para pegá-lo, e ele avançou no cinegrafista” relatou Julie, ao UOL.

Julie vai registrar um boletim de ocorrência contra o agente público por injúria racial e agressão.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.