Gana começará a produzir vacinas próprias Covid-19 em janeiro de 2024

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Via Reuters

Gana começará a produzir suas próprias vacinas COVID-19 em janeiro de 2024, disse o presidente Nana Akufo-Addo nesta quarta-feira em seu Discurso do Estado da Nação no parlamento.

O presidente ganês e presidente da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) Nana Akufo-Addo fala durante uma extraordinária cúpula da CEDEAO para ouvir relatos de missões recentes ao Mali, Burkina Faso e Guiné, após golpes militares nesses países, em Accra, Gana, 25 de março de 2022. REUTERS/Francis Kokoroko
Leia Menos

Um Instituto Nacional de Vacinas seria criado para traçar uma estratégia para que o país da África Ocidental inicie a primeira fase de produção comercial para os jabs, disse ele sem fornecer mais detalhes.

Leia também: Gana impõe aumento recorde da taxa de juros para desacelerar a inflação

“Em breve será apresentado a vocês, nesta Assembleia, seu apoio e aprovação para a criação do Instituto Nacional de Vacinas”, disse ele.

Até agora, Gana vacinou totalmente cerca de 21,4% de seus 30 milhões de habitantes contra coronavírus, de acordo com dados da Reuters.

O governo levantou a maioria das restrições remanescentes do coronavírus no fim de semana, citando infecções em declínio rápido e uma campanha de inoculação relativamente bem sucedida.

O presidente também anunciou que uma nova fábrica de montagem com capacidade para montar 5.000 novos veículos por ano foi estabelecida pela Nissan (7201.T) na cidade portuária oriental de Tema, que atualmente produz marcas nissan e peugeot de veículos para os mercados ganês e da África Ocidental.

Ele lamentou uma série de golpes militares que ocorreram na África Ocidental nos últimos 18 meses e disse que a região estava fazendo manchetes internacionais “por todas as razões erradas”.

Os governos de Burkina Faso, Guiné e Mali foram todos derrubados desde agosto de 2020, e os líderes regionais estão buscando acelerar um retorno ao regime constitucional com sanções e ultimatos. 

“Não aspiramos ser uma ilha de paz e estabilidade em uma região de turbulência”, disse Akufo-Addo, que também preside o bloco regional da África Ocidental, a CEDEAO.

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.