Fundadores do Nubank publicam carta pedindo desculpas e classificam como ‘equívoco’ postura da empresa

APOIE O NOTÍCIA PRETA
a brasileira Cristina Junqueira, o americano Edward Wible e o colombiano David Vélez fundaram o Nubank

Na tentativa de conter as críticas negativas após as declarações de sua cofundadora sobre a ‘dificuldade de contratar negros para cargos de liderança’, os sócios fundadores do banco digital publicaram uma carta se retratando. A empresa postou em seu site o texto dos sócios David Vélez, que é colombiano, e Edward Wible, norte-americano, se desculpando pela declarações dadas por Cristina Junqueira ao programa Roda Viva.

No texto, o banco virtual diz que  a diversidade “foi sempre, sim, parte da nossa cultura. O equívoco foi achar que ter o valor por si só bastava. O erro foi achar que as coisas vão se resolvendo sozinhas, pela própria comunidade de Nubankers, organicamente, sem esforços contínuos e investimentos da liderança“.

Ficamos acomodados com o progresso que tivemos nos nossos primeiros anos de vida que se refletia em algumas estatísticas relativas à igualdade de gênero e LGBTQIA+, por exemplo, que, repetidas, mascaravam a necessidade urgente de posicionamento ativo também na pauta antirracista“, prossegue a carta.

Além disso, o banco se compromete a “avançar, dentro e fora de casa, com uma agenda de reparação histórica e de combate ao racismo estrutural“.

Na carta, os sócios brancos dizem ainda que a empresa passou os últimos dias conversando “com a comunidade negra de Nubankers, com ativistas negros de fora do Nubank e também com nossos clientes. Nessas conversas, vimos o quanto precisamos avançar, dentro e fora de casa, com uma agenda de reparação histórica e de combate ao racismo estrutural.”

A empresa também anunciou uma parceria com o IDBR (Instituto Identidades do Brasil). “O objetivo é ampliar nosso entendimento sobre o tema, firmar nosso engajamento público e contínuo e acelerar a promoção da igualdade racial no Nubank“, diz o texto.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

  • celsodecampos

    (26/10/2020 - 18:33)

    TODO NEGRO CONCIENTES DEVEM PELA HONRA DIGNIDADE ATITUDE FÉ DEVEMOS POR QUESTAO DE HONRA HONESTIDADE ENCERARMOS QUALQUER INVESTIMENTO FINANCEIRO. EU JÁ ENCERREI A MINHA É VOCES IRMAOS NEGROS MOSTREM PARA SEUS FILHOS QUE EXEMPLO VOCE É PARA SUA FAMÍLIA, PRIMOS , TIOS, SOBLINHOS, AVOS AMIGOS COLEGAS NEGROS, NEGRAS ,CRIANCAS ,SEJAMOS CAPAZES UNIDOS FORTES DIGNOS CONCIENTES PERSEVERANTES AMEM.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.