Espetáculo ‘Os Desertos de Laíde’ ressalta resiliência e ancestralidade negra

Com texto e concepção artística de Rona Neves e direção de Luiz Monteiro, o Espetáculo “Os Desertos de Laíde” propõe revelar a resiliência fundamentada na ancestralidade negra. Os desertos atravessados pela personagem na morte de seus filhos e sua percepção de mundo e sentimentos, que também espelham a intimidade de mulheres comuns, que enfrentam cotidianamente a violência, guiam a trama. A montagem fica em cartaz de 27 de Março a 28 de Abril, de quarta a domingo, às 19h30, na Sala A do Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro.

A peça que conta com Juciara Awó e Tatiana Henrique no elenco e direção musical de Dai Ramos, é inspirada e dedicada a mulheres cariocas, que constroem diariamente sua dignidade apesar de terem suas trajetórias invisibilizadas e vidas ameaçadas.

Crédito: Edu Monteiro

Buscando contribuir com o resgate da memória e a valorização da cultura de matrizes negras e periféricas, o projeto se destaca por levantar temas urgentes para o combate ao racismo e à invisibilidade social: o genocídio de jovens pobres e negros, a importância das religiões de matriz africana na resistência, construção da identidade afro-brasileira, entre outros.

Sendo um espetáculo que se propõe a trazer reflexões, também contará com rodas de conversas abertas ao público nos dias 10 e 17 de Abril. O debate pretende aprofundar a discussão sobre pontos chave das temáticas abordadas na peça. Com a criação dessas zonas de convívio, pretendendo tensionar as fraturas sociais, convidando os participantes a

compartilhar suas experiências e questionamentos sobre os temas levantados.

Serviço

Endereço: O Centro Cultural Banco do Brasil fica localizado na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro, Rio de Janeiro.
Datas: 27 de março a 28 de abril (de quarta a domingo)
Horário: 19h30
Ingresso: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Clientes do CCBB são Vips no dia 03/04
Rodas de conversa: 10/04 e 17/04 – às 20h30
Classificação: 16 anos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: