“Ela é negra e lésbica”: funcionária é vítima de racismo e lesbofobia em restaurante no Piauí 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Joelma Figueiredo, de 23 anos, denunciou nas redes sociais ter sido vítima de racismo e lesbofobia por um cliente do restaurante em que trabalha na cidade de Parnaíba, no litoral do Piauí. Em mensagens de texto enviadas ao estabelecimento no último sábado (12), o homem pede para que o hambúrguer seja preparado por outra pessoa. “Lanchei aí na quarta-feira e vi que meu hambúrguer foi feito por uma pessoa que não é do meu agrado. Ela é lésbica e negra, entenda meu lado. A imagem de vocês em primeiro lugar.”

Funcionária de restaurante denuncia racismo e lesbofobia em mensagens de cliente. Foto: Arquivo Pessoal

A vítima relatou ao G1 que outra funcionária estava responsável pelo atendimento de clientes nas redes sociais. Ao receber as mensagens ofensivas, a mulher alertou Joelma, que acompanhou o restante da conversa. “Tipo de clientes como você não fazemos a mínima questão em nosso estabelecimento. Que o senhor fique sabendo que a ‘negra e lésbica’ é a melhor chapeira da cidade. Vamos na delegacia registrar um B.O. [boletim de ocorrência] contra você.”, respondeu a atendente. 

Leia também: Atacante do Real Madrid é alvo de racismo em partida do Campeonato Espanhol

De acordo com Joelma, não foi possível reconhecer o responsável pelo envio das mensagens. “Na mensagem ele dizia que tinha ido lá numa quarta-feira, mas, por lá, passa tanta gente. É difícil tentar lembrar. O perfil não possui foto.”, comentou. 

As Subcomissões da Diversidade Sexual e de Gênero e da Mulher Advogada, da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Piauí (OAB-PI), divulgaram uma nota de repúdio ao caso de racismo e lesbofobia. No documento, a instituição declara que as atitudes são incompatíveis e inaceitáveis. “É válido ressaltar que a Lesbofobia e Racismo são condutas tipificadas como crime em nosso ordenamento jurídico e como tal serão tratadas. Todavia é importante frisar que, atitudes dessa natureza são completamente incompatíveis, e absolutamente inaceitáveis no seio de nossa sociedade, que deve prezar pela diversidade, pela democracia, pela justiça e a convivência respeitosa entre todos”, afirma o trecho do comunicado. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.