Em show, Djonga pede resgate do orgulho dos brasileiros em vestir camisa da seleção    

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O rapper Djonga quer resgatar o orgulho dos brasileiros ao vestir a camisa da seleção. Prova disso é que no último final de semana o artista fez um show no Mineirão e declarou de forma direta: “com essa camisa aqui é mais gostoso de ouvir vocês gritando, porque os caras acham que tudo é deles, eles se apropriam do tema família, eles se apropriam do nosso hino, eles se apropriam de tudo, mas é o seguinte, é tudo nosso, e nada deles.”, disparou. 

O rapper Djonga. Foto: Reprodução Redes Sociais

No show, Djonga cantou diversos hits como “Hat Trick” e “Leal”, mas o que mais empolgou o público foi o clássico final “Olho de Tigre”. O trecho “fogo nos racistas”, fez o artista descer do palco e ir em cada um dos lados para fazer o bate cabeça que acontece em todos os seus shows. Vale lembrar que no Loolapalloza do dia 27 de Fevereiro, o rapper se apresentou com suas guias de candomblé no pescoço, levando ao delírio o público do festival com suas músicas. “Esse grito é o grito da nossa geração: Fogo nos racistas! Aproveita que está na TV, essa é a hora do Brasil ouvir, no horário quase nobre. Nós não aguentamos mais perder crianças na favela vítimas de bala perdida”, disse o rapper. 

Leia também: “Esse é o grito da nossa geração: ‘Fogo nos racistas!’”, Djonga incendeia último dia de Lollapalooza

Ainda no evento, Djonga finalizou dizendo que a luta antirracista não é uma obrigação apenas dos negros, e sim, de toda a sociedade: “Muitas pessoas aí não tem a verdadeira noção da importância dessa luta, mas entende. Isso é para vocês também. Vocês tem que lutar junto com a gente porque o bagulho é difícil demais”, declarou o artista. 
O último grande trabalho do artista foi a mixtape do novo projeto A Quadrilha, em parceria com Marcelo Tofani, Laura Sette, Bertiolli, X Sem Peita, Dougnow e Zinga, artistas que integram o selo encabeçado pelo rapper mineiro. A mixtape homônima ao projeto traz três faixas que também acompanham seus respectivos registros audiovisuais: “Ouro Branco”, “#SDD” e “Tá de Cão”. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

3 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.