Desmatamento na Amazônia bate recorde em janeiro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

360 km². Esse é o saldo do desmatamento na Amazônia nas três primeiras semanas de janeiro deste ano, segundo dados do programa Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados nesta quinta-feira (3).

Desmatamento: Ação de madeireiras na amazonia – Foto: Pok Rie/Pexels

LEIA TAMBÉM: Povos nunca contatados da Amazônia sofrem ameaças no Peru e no Brasil, diz grupo indígena

Segundo o Deter, programa que tem o objetivo de auxiliar ações de fiscalização, do dia 1⁰ ao dia 21 de janeiro deste ano, a área destruída na Amazônia já é maior que todos os meses de janeiro, desde 2015, início da série histórica acompanhada pelo Programa.

Em números comparativos, em todo o mês de janeiro de 2021 foram desmatados 83 km². “Um número tão alto em janeiro, que é o pico da estação chuvosa, certamente chama atenção e nos deixa extremamente preocupados”, afirma Claudio Angelo, da ONG Observatório do Clima, à AFP.

Entre agosto de 2020 e julho de 2021, o Inpe registrou 13.235 km² de desmatamentos na Amazônia, o maior valor desde o ano de 2006. Ainda de acordo com o Deter, foi o terceiro aumento consecutivo de destruição, depois da posse do presidente Jair Bolsonaro (PL). “Precisamos aguardar os próximos meses, mas o sinal não é nada bom“, completou Angelo.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.