De São Gonçalo para o Brasil, Ella Fernandes lança seu primeiro videoclipe

APOIE O NOTÍCIA PRETA

“Para mim, enquanto artista independente, mulher negra, mãe solo, periférica, fazer e viver da arte é um ato político”. A cantora se revela na composição de seu novo single: “Vai ficar tudo bem”.

Ella Fernandes na primeira cena do clipe de “Vai ficar tudo bem” – Foto: João Fonseca / Luan Citele

“Música é um acalanto nesse mundo. Música me inspira, me acompanha, me acalma, me emociona, me alegra, me faz querer viver. E viver dElla! (risos)”. É dessa forma que Ella descreve sua relação com sua profissão. Em um quarto, Ella começa seu clipe chamando seu ouvinte para mais perto e, suscetivelmente, o mesmo ocorreu nessa entrevista.

Com simpatia e sotaque, a cantora, atriz e poetisa de São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Ella Fernandes aceita compartilhar um pouquinho da sua vida e carreira. Você deve conhecer a carioca do popular “80 tiros”, uma versão de “Cálice” de Chico Buarque – hino contra a opressão ditatorial militar – e que na versão de Ella, fala sobre o genocídio da população negra. “Chamou a atenção de muitas pessoas e do próprio Chico”, a cantora compartilha.

A Performance viralizou de tal forma que a levou dos saraus, bares e festas, onde a cantora começou sua carreira, para grandes palcos como “Festival Artecore”, “Flup”, Sarau da Lira, Circo Voador e também a participar de duas campanhas para o “Rock in Rio”, em 2019. Além de vitória em vários prêmios como Prêmio Ubuntu 2019, na categoria “Artista Multilinguagem”, e o Prêmio Cidadania Cultural – Flisgo na categoria “Destaque 2019/2020”. “Para mim, enquanto artista independente, mulher negra, mãe solo, periférica, fazer e viver da arte é um ato político. Cada processo, cada composição, gravação até o lançamento e o pós – lançamento, existem processos que sozinha se torna ainda mais difícil de fazer essa arte chegar até o público e ampliá-la”, compartilha com o NP. “Talvez esse seja um dos motivos de por muito tempo estarmos silenciadas na música ou em minoria, mas hoje o artista independente tem encontrado outras formas de fazer seu trabalho, é isso é muito importante. Eu mesma tenho feito minha própria história e levado uma música de qualidade, juntamente com as pessoas que acreditam na minha arte”.

A cantora é cria de São Gonçalo (RJ) – Foto: João Fonseca / Luan Citele

No dia da Consciência Negra, Fernandes lançou o videoclipe do seu primeiro single autoral, Vai Ficar Tudo Bem, e confirma a possibilidade novos singles. “Depois de dois anos de carreira, lancei meu primeiro single nos streamings!”, conta animada. “O lançamento veio muito por conta da pesquisa, que gosto de fazer para amadurecer meu trabalho e que me permite poder entregar algo com verdade e direcionamento do que eu quero falar e de que forma”. “Daqui em diante as pessoas que acompanham meu trabalho podem esperar outros lançamentos! Com meu estudo da “MPBlack”, que é a mistura do rap com os ritmos populares Brasileiros, como fiz em “Vai Ficar Tudo Bem” introduzindo o samba no R&B e também fiz em “Barbie de Rua” que será meu próximo lançamento, com o funk na base de hip hop. Também podem esperar feats”, revela.

Disponíveis nas plataformas Youtube e Spotify, o clipe foi lançado pelo canal Trace Brasil, durante a programação do Trace Brazuca. “Para essas músicas contei com o apoio do meu amigo e produtor artístico Daniel Goneli é o Estúdio 360k ambos de São Gonçalo. Levar essa arte para a rua é dizer que aqui se faz, que é possível e por isso acredito que seja um trabalho tão importante”, afirma.

APOIO-SITE-PICPAY

Gabriella Reis

Jornalista, escritora e web-redatora. "Se ninguém te escuta, escreva!"

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.