Coronavírus chega à Cidade de Deus e comunidade é a primeira favela do RJ a registrar oficialmente caso de covid-19

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Cidade de Deus

Foi confirmado neste sábado (21) o primeiro caso do novo coronavírus na Cidade de Deus, uma das maiores favelas do Rio de Janeiro com aproximadamente 38 mil habitantes, localizada na Zona Oeste da cidade.

O boletim que confirma o caso, mas não revela a identidade da pessoa infectada, foi divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio e lança um alerta sobre o avanço da Covid-19 em direção às favelas do estado que juntas somam mais de 2 milhões de moradores, segundo dados do Instituto Data Favela .

A socióloga Lidiane Malanquini, da ONG Redes da Maré, ressalta que casos de coronavírus nas comunidades pode ser mais difícil de conter devido a estrutura física e social das favelas: “O domicílio na Maré é diferente do domicílio no restante da cidade. Parte dessas moradias não têm uma estrutura física que permita a ideia do isolamento social. Além disso, muitas dessas casas vivem várias pessoas, mas como elas farão o isolamento social? Temos que olhar para estas realidades que são próprias das favelas”, explica. O Complexo da Maré ainda não registrou oficialmente casos de Covid-19.

Além da Cidade de Deus, a Zona Oeste do Rio registrou novos casos em Cosmos (1). Na Zona Norte, houve confirmações em Madureira (1) e Quintino (1). No Centro, houve uma infecção constatada no Rio Comprido. O total de casos no município chegou a 103.


O Rio de Janeiro é o único estado da região Sudeste a ter mais de 10% de pessoas morando em favelas. A média de idade desses moradores é de 36 anos, segundo o Instituto Data Favela.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.