Condenado por assassinato de Floyd vai mudar declaração de inocência para evitar novo julgamento

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Dereck Chauvin, condenado a 22 anos de prisão pelo assassinato de George Floyd, em maio de 2020, nos Estados Unidos, pretende mudar a declaração de inocência apresentada durante o julgamento, de acordo com registros do tribunal divulgados nesta segunda-feira (13).

Dereck Chauvin foi condenado a 22 anos de prisão – Foto: Reprodução

A estratégia da defesa do ex-policial é para que Chauvin não enfrente outro julgamento, desta vez por “violação dos direitos constitucionais” de Floyd. Nos autos do processo não está especificado como será esta nova versão da declaração, se Chauvin vai se declarar culpado ou optar por aceitar a condenação sem reconhecer a culpa formalmente.

Leia também: Ex-policial Derek Chauvin é sentenciado a 22 anos e meio de prisão por assassinar George Floyd

Chauvin e os outros três agentes presentes no episódio, Alexander Kueng, Thomas Lane e Tou Thao, foram acusados de violar os direitos constitucionais de Floyd, assim como de não terem chamado serviços médicos de emergência. Todos os quatro se declararam não culpados das acusações federais e seu julgamento está marcado para o próximo ano.

O assassinato de Gorge Floyd aocnteceu no dia 25 de maio de 2020, após Dereck Chauvin permanecer ajoelhado sobre seu pescoço por 8 minutos e 46 segundos. O crime gerou uma onda de protestos em vários países, incluindo o Brasil.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.