Com primeiro capitão negro, África do Sul conquista o tricampeonato na Copa do Mundo de Rugby

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Depois da vitória sobre a Inglaterra, Siya Kolisi fez um discurso de união para o país de origem

No último sábado (2), a seleção sul-africana consagrou-se tricampeã mundial de rugby ao derrotar os ingleses por 32-12, na final realizada no Japão. Mais do que o título, a conquista teve um feito histórico para os africanos: pela primeira vez a seleção conhecida como  Springboks teve um jogador negro como capitão.

Siya Kolisi é o primeiro negro a ser capitão da Seleção Sul Africana de Rugby – Foto: Cameron Spencer/Getty Images

Siya Kolisi não só levantou a taça no final da partida, como fez um discurso emocionado ao povo africano, que ecoou por todo o mundo. “Desde que eu nasci, eu nunca vi a África do Sul desse jeito. Obviamente, em 1995, sabemos o que a Copa do Mundo significou para nós. O treinador nos falou antes desse último jogo: ‘Nós não estamos jogando por nós apenas. Estamos jogando pelas pessoas na nossa casa’. Era isso que queríamos fazer hoje, nós agradecemos todo o suporte, as pessoas nos bares, nas cidades, nas fazendas e nas ruas, aos moradores de rua. Nós te amamos, África do Sul, e nós podemos conseguir qualquer coisa se nos unirmos”, discursou Kolisi.

Símbolo do Apartheid

Durante muito tempo o rugby foi um dos grandes símbolos da segregação racial na África do Sul. O apartheid vigorou no país por mais de cinquenta anos (de 1948 a 1994). Até 1995, apenas jogadores brancos podiam defender a seleção do país. Isso mudou quando Nelson Mandela assumiu o poder no país e pôs fim ao regime do apartheid. Não por coincidência, nesse mesmo ano, os Springboks tiveram pela primeira vez um jogador negro, Chester Williams, e conquistaram o primeiro título da Copa do Mundo.

APOIO-SITE-PICPAY

Michele Gama

Jornalista formada pela FACHA, trabalha há nove anos como produtora de reportagem

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.