Banco Central aumenta a estimativa de inflação para 7,65% para o ano

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Chegando à décima quinta alta consecutiva, o Banco Central do Brasil (BC) divulgou, nesta terça-feira (26) mais uma estimativa de inflação para o ano de 2022. A projeção dos economistas estava em 6,86%, passou para 7,65%. Ao todo, mais de 100 instituições financeiras participaram da pesquisa na última semana para chegar a esse percentual.

O Banco Central aumentou a estimativa de inflação para 2022 – Foto: Reprodução/BC

O centro da meta da inflação deste ano foi definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 3,5% e será considerada cumprida se ficar entre 2% e 5%. Porém, tanto o BC quanto especialistas já preveem que a inflação ficará acima do teto da meta. “A meta de inflação perseguida pelo Banco Central este ano é de 3,5%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, podendo variar entre 5% e 2%. A nova estimativa dos agentes financeiros leva a inflação a se distanciar ainda mais da meta“, afirma o documento do BC.

Leia também: ‘Para brasileiros, Governo Bolsonaro é o principal culpado pela crise econômica’, afirma pesquisa 

Para aliviar a pressão sobre a inflação, o CMN aumentou a taxa de juros básico (Selic) para 11,75% e a estimativa é que, até o fim do ano, chegue a 13,25%. No entanto, para 2023, a taxa Selic deve ter uma retração, chegando a 9%.

Greve no BC

Servidores do BC entraram em greve no dia 1º de abril, reivindicando um reajuste salarial de 27%, mas o Banco oferece 5%, mesmo valor proposto pela União a todos os servidores. Fábio Faiad, presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central do Brasil (Sinal) considera a proposta inviável. “Consideramos insuficiente. Vamos continuar batalhando na mobilização por um reajuste melhor”, afirmou em entrevista ao G1.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.