Diretor mineiro lança curta-metragem que reconta a história do pastel de angu

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Angu Recheado de Senzala conta um pouco da história de resistência do pastel de angu

Angu Recheado de Senzala, esse é o nome do curta-metragem que chegou à plataforma do Youtube na última quinta-feira (8). Com direção e roteiro de Stanley Albano, o curta-metragem conta um pouco da história do pastel de angu e mostra a sua ligação forte com os negros.

Rosilene de Oliveira,  Stanley Albano e Tânia Maria de Oliveira – Foto: Redes Sociais

Criado no século XIX, período da escravidão, o pastel tem como o seu ingrediente principal o fubá, um dos alimentos mais consumidos na época da escravidão. Apresentado à história do pastel de angu quando foi convidado para participar de uma feira artística, Stanley ficou encantado com a ligação ancestral do quitute que, além da parte criativa da receita, mostrava pontos perversos de apropriação cultural.

Para Stanley Albano a proposta do Angu Recheado de Senzala é mostrar que o preto tem diversos poderes e pode ocupar o lugar que quiser na sociedade. O curta mostra também a criatividade e inteligência do povo preto, que resistiu há tempos difíceis e conta com a participação de Rosilene de Oliveira, mãe de Stanley Albano, e Tânia Maria de Oliveira. O artista conta que a sua preocupação inicial de atuar com elas era se ficariam tímidas diante as câmeras, pois seria a primeira atuação delas como atriz. “Foi surpreendente como tudo fluiu, e ainda ao lado de minha mãe e de uma querida amiga que tive o prazer de conhecer através de meu companheiro”, comenta.

Orgulhoso do seu segundo curta-metragem, Stanley fica emocionado e feliz com tantas mensagens de carinho que tem recebido desde o lançamento do curta. ”Não esperava tanta repercussão, mas estou muito feliz e grato com todos que contribuíram, apoiaram. Grato também pelas diversas mensagens de carinho e de pessoas que se sentiram representadas de alguma forma”, diz.

Gravada parte na Serra do Cipó e outra no próprio quintal de casa, o artista preferiu trabalhar com pessoas próximas e com um histórico semelhante ao seu.  “Preferi trabalhar com pessoas de casa mesmo e que tem um histórico de um povo que já viu e viveu muitas injustiças raciais, sociais e trabalhistas”, aponta.

Sobre Stanley Albano

Trabalhando desde os 12 anos, o empresário já passou por várias áreas dentre elas pedreiro, garçom, faxineiro, porém depois de passar por um emprego tóxico que o fez adoecer mentalmente por conta de situações abusivas, preferiu sair e tentar ter seu próprio empreendimento.  Há dois anos, o jovem artista e empresário mineiro criou o Mandaknega, restaurante desenvolvido no quintal de sua casa no bairro Santa Efigênia.  Para Stanley o Manknega representa um ato de resistência e coragem construído com muita luta e encorajamento.

O audiovisual chegou para Stanley durante a pandemia, onde fez seu primeiro curta batizado de Morde & Assopra, contando um pouco da relação abusiva dos patrões com os funcionários. O curta foi um dos premiados como melhor roteiro e melhor apresentação no III Festival Griot.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.