Análise da Polícia Civil conclui que jovens assassinados por PMs na Baixada foram mortos com tiros no rosto e pelas costas

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Jhordan Luiz de Oliveira Natividade, de 17 anos, morto após uma abordagem policial em Belford Roxo, foi executado com um tiro no rosto. Seu amigo, Edson de Souza Arguinez Júnior, de 20 anos, que estava com ele na moto, tinha três perfurações causadas por tiros, uma nas costas e duas na barriga. Essa é a conclusão de uma análise preliminar feita pela Polícia Civil no local do crime.

Na madrugada do último sábado (12), os rapazes passavam de moto na Rua Margem Esquerda, no bairro Vila Mercedes, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, quando foram brutalmente parados por dois policiais.

Edson e Jhordan foram encontrados mortos após abordagem policial

Imagens de câmeras de segurança mostram que os rapazes caem da moto após passaram por um policial que atira neles. O cabo Julio Cesar Ferreira dos Santos e o soldado Jorge Luiz Custódio da Costa alegaram, em depoimento, que liberaram os rapazes, sem levá-los à delegacia, após constatar que a moto estava em situação regular e os amigos não levavam consigo nenhum material ilícito. Edson e Jhordan foram encontrados mortos por parentes na tarde de sábado, a cerca de 8km do local da abordagem.

De acordo com a análise da Polícia Civil, Jhordan tinha orifícios na sobrancelha e na nuca. Segundo Informação de uma investigação preliminar feita pela Delegacia de Homicídios (DH) da Baixada Fluminense, à qual o jornal Extra teve acesso, a suspeita dos investigadores é de que o disparo tenha entrado pela parte da frente da cabeça e saído pela de trás.

Os policiais, que estão presos, serão novamente ouvidos por investigadores da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense. Eles deverão revelar a trajetória exata que fizeram após saírem do local da abordagem assassina dos amigos. Ainda não foi marcada nova data para os policiais serem ouvidos

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.