Alunos da UFRGS cobram expulsão de doutorando indiciado por racismo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Mais de 40 diretórios acadêmicos e movimentos sociais enviaram uma carta-manifesto à reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) pedindo a expulsão do doutorando Álvaro Hauschild. O movimento aconteceu na última sexta-feira (22).

Álvaro Hauschild, que cursa doutorado em Filosofia, foi indiciado no último dia 15, pelo crime de racismo qualificado. Segundo a Polícia Civil, mensagens e publicações feitas por ele são de cunho preconceituoso e ferem a Constituição. Em seu depoimento à polícia, mesmo após divulgação das conversas em que fala sobre supremacia racial, Álvaro Hauschild negou que tenha cometido o crime e disse que expressou uma opinião, mas que não teria praticado violência. 

O documento também foi submetido ao Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPG-Filosofia) e ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH).

Leia também: Porto Alegre tem manifestação antirracista e contra grupo supremacista branco

A Comissão de Graduação em Políticas Públicas (Comgrad-PP) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul divulgou nota pedindo “máxima prioridade e celeridade” na apuração do caso. “Entendemos que o caso exige tanto o necessário cuidado com os procedimentos institucionais, imprescindíveis para o respeito ao devido processo legal, quanto uma firme e diligente resposta da Universidade para as graves denúncias apresentadas”, diz um trecho da nota da Comgrad-PP. 

“Não há mais qualquer espaço, dentro ou fora da Universidade, para a repugnante e esdrúxula ideia de supremacia racial! É exaustivo e inaceitável que se aceite esse pensamento ou que se permita que ganhe espaço em nossa sociedade. Não podemos aceitar que exista ideias tão cruéis afirmando que uma ‘etnia deve ser superior a outra”, dizem os estudantes na carta-manifesto, em que o Jornal O Globo teve acesso.

Os estudantes organizavam desde a semana passada um abaixo-assinado pelo desligamento de Álvaro Hauschild. A mobilização contava com 2.361 assinatura até esta sexta-feira (22). A ideia é apresentar o documento na próxima reunião do Conselho Universitário, órgão colegiado legislador de maior poder dentro da universidade.

A COMGRAD-PP se une ao desejo manifesto pelo acadêmico e pelo Programa de Pós Graduação em Filosofia (PPGFil) desta Universidade para dar o devido prosseguimento à apuração dos fatos no sentido de que as instâncias responsáveis no âmbito da UFRGS atuem com a máxima prioridade e celeridade no encaminhamento das necessárias apurações preliminares e para a consequente apreciação dos elementos que configuram eventual instauração de processo disciplinar“, diz outro trecho de nota da Comgrad-PP.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.