Alfred Enoch relembra episódio de racismo no Brasil 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O ator Alfred Enoch relembrou um episódio de racismo que vivenciou no Brasil quando era criança, uma vez que é filho de uma brasileira. Ele contou que estava na companhia de seus pais, no Rio de Janeiro, quando o caso aconteceu. “Eu lembro que eu tinha uns 6, talvez 8 anos de idade, e a gente estava visitando uma amiga da minha mãe, que estava ficando lá no [hotel] Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Eu estava assim de bermuda, chinelo. Meus pais passaram e o segurança me parou e disse: ‘não, você não vai entrar’. Eu disse: ‘como que não?’ Ele disse: ‘não, aqui você não entra’. ‘Por que não? Meus pais estão aí, como que eu não vou entrar, vai me deixar aqui fora?’. Ele disse: eu não acredito que são seus pais, eu chamei: ‘mãe, mãe, mãe’. Ela voltou e me pegou. Percebi naquele momento que é uma parada completamente diferente”, lembrou Enoch. 

O ator Alfred Enoch. Foto: Reprodução Redes Sociais

A declaração foi dada durante a coletiva de imprensa do filme “Medida Provisória”, em Salvador, na quarta-feira (30). O longa-metragem marca a estreia de Lázaro Ramos na direção e tem Alfred Enoch no papel do protagonista e chega às telas do cinema no dia 14 de abril. 

Leia também: “Em algum momento o racismo te chama, ninguém está livre dele”, diz Taís Araújo, sobre sua personagem em ‘Medida Provisória’

A obra retrata um Brasil distópico, sob um regime autoritário que, através de uma medida provisória, determina o envio obrigatório da população negra para a África como reparação histórica. Taís Araújo interpreta Capitú, uma médica negra letrada que, durante o caos racial pela medida do Governo, encontra na ancestralidade o caminho estratégico para proteger a liberdade coletiva da população negra.

Na trama, Enoch vive o advogado Antônio, casado com Capitú e se torna o principal alvo das autoridades pela sua posição combativa à reparação imposta. Para não incorrer no crime de invasão a domicílio, a polícia só pode capturar os indivíduos nas ruas. Antonio passa a viver dentro de casa, enquanto Capitú foge quando policiais invadem seu consultório. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.