Alemã quer ser negra, escurece a pele e se muda para África

Se você acha que ‘blackfishing’ tem limite a alemã Matina Big mostra que não tem. Caucasiana de nascença e a européia decidiu escurecer seu tom de pele pois, segundo ela, sempre se identificou com a raça negra e quer ser preta.

Além de mudar a aparência a ex-modelo decidiu mudar de continente e ir mudar na África. A mulher, de 30 anos, e o marido, de 31, submeteram-se a um tratamento que incluía injeções de um hormônio sintético que estimula a produção de melanina e que escurece a pele.

O casal revelou num programa de televisão que já procurava uma casa no Quénia. Martina, conhecida por ter realizado várias operações para aumentar os seios, agora se chama de Malaika Kubwa, que significa ‘Grande Anjo’ na língua suaíli, um dos idiomas oficiais desse país.

“Eu não quero apenas parecer uma mulher africana, eu quero sentir que o sou. Passei algum tempo no Quénia no ano passado e senti-me em casa. Quero aprender mais sobre a cultura dos negros para que mais tarde a possa transmitir aos filhos que planeio ter”, disse ao jornal The Sun.

Martina se casou em outubro passado, depois que ela e o marido disseram “descobrir” que se identificavam com a raça negra.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: