Acusado de furto em hospital no Rio Grande do Sul, idoso negro é agredido e vê a esposa enfartar e falecer

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Everaldo foi acusado, injustamente, de ter furtado um celular – Reprodução/Vídeo/RBS TV

Na madrugada do último sábado (18), um idoso de 62 anos foi agredido no Hospital Dom João Becker, em Gravataí, Região Metropolitana de Porto Alegre. Acusado de ter furtado um celular por funcionários do hospital, Everaldo da Silva Fonseca também perdeu sua esposa, Maria Gonçalves Lopes, que estava internada na unidade de saúde. Ao presenciar a situação que seu marido passou, a idosa teve um ataque cardíaco e não resistiu à situação.

Em entrevista ao site Giro de Gravataí, Everaldo desabafou sobre a situação e revelou como foi o procedimento dos funcionários do hospital. “Me revistaram e levaram para um corredor escuro. Apanhei, tomei soco nas costas, um chute do guarda, pisão no pé. Me disseram um monte de palavras de baixo calão. Eu disse pra ele que era um homem de 60 e poucos anos e que eu não ia tá apanhando, passando a maior vergonha. Gritava para me largar e não me largavam”, relata.

Ainda segundo Everaldo, após localizarem o aparelho, em outra sala,  alguns funcionários tentaram agradá-lo, após a morte de sua esposa e da acusação de furto, oferecendo maçã, pão e suco.  “Depois de tudo eles queriam me agradar, trouxeram maçã, pão e suco, como se isso fosse amenizar a humilhação que passei e a vida da minha esposa, estou destruído por dentro.” Desabafa Everaldo.

Em nota, o hospital informou que abrirá uma sindicância interna para apurar o caso. “Uma vez feita a apuração, com base no Código de Conduta vigente em todos os hospitais da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, serão tomadas as providências cabíveis, tendo como premissa essencial a verdade dos fatos”, finaliza a nota. 

APOIO-SITE-PICPAY

Ariel Freitas

Jornalista, escritor, rapper e ativista. Criado nos becos estreitos da Vila Estrutural e pelas esquinas do Morro Santana, ambos localizados na zona norte de Porto Alegre. Aos 16 anos, Ariel Freitas era campeão de freestyle na maior batalha do estado do Rio Grande do Sul, a famosa Batalha do Mercado. Atualmente, Ariel Freitas escreve sobre os impactos do racismo na Capital da desigualdade racial. Uma Porto nem tão Alegre assim.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.