44% dos negros vivem em áreas sem cinema, aponta IBGE

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE), divulgada este mês, revelou que a população preta ou parda possui menos acesso a equipamentos culturais e meios de comunicação no Brasil. De acordo com dados do Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC), ligado ao órgão, 44% dos negros vivem em municípios que não há cinema, por exemplo. 

A inacessibilidade, no entanto, vai mais fundo do que o contato com as telonas, e atinge outros equipamentos culturais, como museus e teatros. Além de cor ou raça, essa relação também varia por sexo, grupo de idade e nível de instrução. 

De acordo com o pesquisador do IBGE, Leonardo Athias, diversos fatores contribuem para a desigualdade. “Isso é uma barreira de acesso potencial. Outras barreiras também podem agir, como o preço das entradas ou mesmo a distância física e a inexistência de transporte público para o acesso, mas é uma mensagem de dificuldade”, explica. 

Quando consideradas as regiões do país, a situação racial também se faz presente. No Sul e Sudeste, regiões de maioria branca, há maior concentração de bens culturais. Já no Norte e Nordeste do país, onde a maioria da população é preta e parda, o número de equipamentos culturais é reduzido.

Vale dizer que o número de brancos que residem em municípios sem salas preparadas para exibir filmes é de 34,8%.

APOIO-SITE-PICPAY

Jader Theóphilo

Jornalista formado pela Puc-MG. Atua como produtor de conteúdo e colunista semanal na Revista Zint, com foco em assuntos culturais. Adquiriu experiência com apuração e produção de jornais da Record TV Minas, atuou como apresentador, repórter e produtor, na PUC TV. Além disso, participou da produção de 3 programas semanais, na TV Horizonte, e foi analista de mídias sociais, na Horizon.

1 Comment

  • Elisete Dias Da Conceição santos

    (23/12/2019 - 09:24)

    Informações relevantes que real.ente contribuem para retirar o racismo e a desigualdade racial da penumbra, que favorecem a manutenção desse sistema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.