Trump doa US$ 100 mil para reconstruir monumentos racistas

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, doou um quarto do seu salário anual, para financiar a reparação de monumentos racistas que foram destruídos em protestos no país, após o assassinato de George Floyd, em maio deste ano. A doação pessoal equivale a de 100 mil dólares.

Trump anunciou a doação em suas redes sociais neste sábado (15). O valor será repassado para o Serviço Nacional de Parques dos Estados Unidos, que está encarregado de realizar a reconstrução das obras retiradas por manifestantes antirracistas.

“Prometi a vocês que não receberia um centavo de salário como seu presidente. Eu doo todos os 400 mil dólares (que recebo)! É uma honra doar estes 100 mil para o Serviço Nacional de Parques, para ajudar a reparar e restaurar nossos grandes monumentos nacionais. Tão importante para nossa história americana! Obrigado!!”, declarou Trump.

A execução de George Floyd, em 25 de maio, por policiais brancos em Minneapolis, gerou uma onda de manifestações antirracistas nos EUA e no mundo. Uma das formas que a comunidade afro-americana encontrou para protestar contra o racismo institucional é a retirada de estátuas de personagens da história estadunidense associados ao racismo.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.