Sem direito a julgamento, jovem preso com 10g de maconha contrai Covid-19 na cadeia e morre

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Preso preventivamente desde 2018 pelo porte de 10 gramas de maconha, Lucas Morais da Trindade, de 28 anos, morreu após contrair o novo coronavírus, no presídio de Manhumirim, em Minas Gerais. A morte por Covid-19 foi confirmada no atestado de óbito de Lucas, que documentou positivo para o teste rápido. Lucas passou mais de nove meses aguardando pelo julgamento, que estava marcado para o próximo dia 28.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp) 80% dos detentos do presídio de Manhumirim – 159 dos cerca de 200 – estão contaminados pela Covid-19. ”Até a última sexta-feira (3), Lucas não apresentava qualquer sintoma da doença. Também não tinha histórico de outras doenças nem fazia uso contínuo de medicamentos. Na manhã do último sábado (4), Lucas desmaiou na cela e foi imediatamente encaminhado, desacordado, para atendimento médico no hospital Padre Júlio Maria, em Manhumirim, onde veio a óbito”, diz a nota da Sejusp.

Das 60 mil pessoas que estão detidas no estado, 344 foram diagnosticadas com a covid-19. Quase metade de todos os internos que estão infectados no estado está detida no Manhumirim  

Habeas corpus negado

Ao Portal UOL, o advogado Felipe Peixoto contou que tentou a soltura do jovem por três vezes, mas os pedidos de habeas corpus foram negados.  “Pela nova lei do pacote anticrime, o juiz tem de fundamentar a prisão preventiva de 90 em 90 dias. Levando em consideração esses prazos, eu pedi duas vezes a liberdade do Lucas, mas foram negados”, disse Felipe. 


Encarceramento em massa

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), O Brasil tem mais de 773 mil presos em unidades prisionais e nas carceragens das delegacias. Os presos provisórios, que são os que ainda não foram condenados, são 253.963 – 33,47 do total. No semiaberto são 126.146 (16,63%) e no regime aberto 27.069, representando 3,57% do total. Os que estão em medida de segurança ou em tratamento ambulatorial somam 3.127.
 

APOIO-SITE-PICPAY

Thiago Augustto

Um filho negro adotado. Thiago Augustto faz questão de marcar sua existência pela raça e pela oportunidade de viver. Transformou o tabu da adoção num grande motivo de orgulho. É criador de conteúdo e palestrante. Se formou em jornalismo em 2014, desde então, trabalha na TV Globo Recife, atuando como produtor e repórter. No Notícia Preta, é editor e coordena os colaboradores das regiões norte e nordeste. Em 2021, criou o Futuro Black - um banco de talentos e de fontes profissionais pretas.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.