Sarau-Vá celebra dia da Mulher Afro-latinoamericana, Afro-caribenha e da Diáspora

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na próxima segunda-feira, 25 de julho, a partir das 19h30, na praça da Bíblia, Ceilândia, Brasília (DF), o Sarau-Vá terá sua quarta edição do ano, dentro do calendário de comemorações do Dia da Mulher Afro-latinoamericana, Afro-caribenha e da Diáspora. A programação, contará apenas com mulheres à sua frente.

A poeta Kashu é a convidada do evento – Foto: Igor Lobato

Como mestra de cerimônias, Kashu, como poeta convidada AyooLa; e, nas pick ups, DJ Donna. A iniciativa de promoção da união da arte poética com a luta contra a discriminação conta com o fundamental fomento do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC). As duas próximas edições acontecem nos dias 8 e 22 de agosto, mantendo sempre a tríade formada por mestre de cerimônia, poeta e DJ, com espaço para poetas da comunidade. 

Para Kashu, encontros como este são potentes e deveriam tornar-se cada vez mais frequentes. “O Sarau-Vá mistura a complexidade da poesia escrita com a música e a luta anti-fascista. Então, dentro do contexto urbano da periferia de Brasília, esse é um lugar de empoderamento importante para mulheres negras artistas como nós”, afirma.

“É mais um dos lugares de segurança em que podemos manifestar nossos interesses, frustrações, políticas, artes, enfim, o que nos dá na cabeça. Vida longa a essa preciosidade. E que haja mais saraus como esse, que já é tradição no calendário candango”, completa.

O trio que conduz o sarau é formado por importantes personalidades das quebradas candangas. Jaynah Crhistine da S. Sousa, artisticamente conhecida como Ayoola, é compositora, cantora, poeta, produtora cultural e slammer. Em 2013, pelas participações no Sarau-Vá, passou a compor o cenário cultural da sua cidade, Ceilândia-DF. Já em 2015, começou a participar de campeonatos de poesia, conhecidos como slams. Integra o coletivo de mulheres negras, Casa Dandara, onde começou a produzir eventos culturais com foco no protagonismo de mulheres negras, LGBTQIA+ e na valorização de artistas e ativistas locais.

Leia também: Jovelina Pérola Negra é homenageada pela Google no dia do 78° aniversário da sambista

“Pensando nessa data tão cara a todas nós, montei um set especial composto por mulheres pretas, passando pela MPB, Dancehall e Rap. A ideia é dar destaque às nossas, trazendo, sempre que possível, alguma delas aos holofotes“, finaliza a premiada DJ.

Para mais informações sobre o evento, clique aqui.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor do Notícia Preta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.