Rio de Janeiro tem as maiores taxas de pessoas negras mortas em ação policial

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na última segunda, (22), pelo menos oito pessoas foram mortas em São Gonçalo (RJ), durante uma ação policial. O município foi apontado como a quarta cidade mais violenta do Estado do Rio de Janeiro, segundo um levantamento realizado pelo UOL, que se baseou nos dados coletados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública desde 2020. Este levantamento levou em consideração municípios com mais de 100 mil moradores. Neste mesmo ano, 5.092 pessoas negras foram assassinadas por intervenções policiais, quase 80% do total das 6.416 mortes naquele ano.

Família do jovem João Pedro protesta no Rio de Janeiro – Foto: Pedro Conforte/Immagini/Estadão Conteúdo

Os municípios de Japeri, Itaguaí, Belford Roxo, Queimados, Mesquita e São João de Meriti na região metropolitana do Rio de Janeiro, além de Angra dos Reis, localizada na Costa Verde fluminense, também figuram na lista baseada no cruzamento entre as mortes de pessoas negras em ações policiais e a população dos municípios onde ocorreram os crimes. Salvador (BA) é única capital na lista, onde o município de Santo Antônio de Jesus (BA) esta no topo.

Segundo o sociólogo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, David Marques, “no Brasil, temos uma polícia com alta letalidade e que produz desigualdade racial. O suspeito geralmente representa a cultura jovem, negra e periférica. Isso se relaciona com um maior número de abordagens, prisões e mortes decorrentes de intervenção policial”. Ele afirma que os constantes confrontos entre a polícia e o crime organizado avançaram para a Baixada Fluminense nos últimos anos.

Leia também: Laudo aponta que João Pedro foi assassinado com um tiro de fuzil pelas costas

Do outro lado, a Polícia Militar do Rio (PMERJ), responsabiliza as vitimas, maior parte delas negra, pelos altos índices de mortes entre pessoas negras em ações policiais, à atuação delas junto ao crime organizado. A PM nega qualquer viés racial em sua atuação. Segundo um trecho da nota da instituição, “[o alto índice de pessoas negras entre os mortos em ações policiais] reflete um quadro histórico de desigualdade social, no qual os afrodescendentes têm ocupado a maior parcela da população vulnerável e, consequentemente, mais propensa a ser cooptada pelo crime organizado”, diz a nota da PM.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.