Presidente do PSOL na Bahia denuncia racismo e intolerância religiosa no TRE do estado

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O presidente estadual do PSOL, Fábio Nogueira, denunciou a ação de um segurança do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), localizado em Salvador. O político, que também é professor da Universidade do Estado da Bahia e Doutor em Sociologia, foi importunado e impedido de entrar no local por utilizar um boné. Fábio informou ao agente que o uso do acessório era necessário, uma vez que precisava estar com a cabeça coberta devido a uma iniciação religiosa que fez recentemente, mas ainda assim teve seu acesso negado.

Como presidente do PSOL na Bahia, Fábio Nogueira declarou que sempre frequenta o Tribunal, mas dessa vez foi questionado inicialmente para onde iria, mesmo após fazer o credenciamento na portaria, e depois impedido de entrar com o boné. “Se fosse uma pessoa branca, de terno e gravata ele faria a mesma pergunta?”, questionou.

Fábio Nogueira – Presidente Psol – BA

Acompanhado de Cris Barros, presidente do partido em Salvador, o professor dirigiu-se à Ouvidoria do TRE-BA, onde registrou uma ocorrência sobre a situação. Apenas com a mediação do funcionário desse setor conseguiu ser autorizado a transitar no prédio com o acessório.

O dirigente do PSOL na Bahia deixa claro que a atitude do funcionário se deve a orientação do TRE-BA, por isso espera que a entidade busque capacitar seus funcionários para assegurar o direito de todos que procuram aquele local. “A denúncia que a gente fez tem a ver com racismo institucional, como as Instituições lidam com a diversidade religiosa. Se tivesse um pastor com a bíblia ou um judeu com seu quipá, acho que o tratamento não seria o mesmo”, acrescenta Fábio Nogueira.

O político baiano segue aguardando resposta do TRE-BA, mas declara que são situações difíceis, mas não dá para ficar calado ou naturalizar casos assim. Lembrando Crispim Terral, empresário agredido dentro da Caixa Econômica Federal em Salvador, o dirigente do PSOL cita que diante do racismo não pode haver silenciamento.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.