Indígenas destroem obra ilegal de igreja evangélica, em PE

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na cidade de Cabrobó, no sertão do Pernambuco, indígenas da aldeia Truka derrubaram as fundações da construção de uma igreja evangélica, no último sábado (24). Segundo os moradores da cidade, a população evangélica diz ter direito a um espaço para seus cultos e, por iniciativa própria, resolveu construir um templo na Ilha da Assunção, terra indígena demarcada.

Em nota, enviada ao portal UOL, a Assembleia de Deus confirmou a construção da igreja, afirmou não ter autorização para a obra e disse que não apoia sua construção sem o aval legal.

A revolta dos indígenas ficou ainda maior quando, segundo eles, quando Jabson Avelino, pastor da Assembleia de Deus de Cabrobó, debochou dos hábitos dos moradores da região.

Leia também: Governo de Angola suspende atividades de afiliada da TV Record na África

“A Constituição reconhece que tem que haver respeito às nossas tradições, às nossas crenças. O pessoal está revoltado com a postura desse senhor Jabson e cansado de tantos descasos dentro do território”, explicou o cacique Bertinho.

O líder da aldeia Truka explicou que em nenhum momento foi procurado e nem deu autorização para a construção da igreja. “Não fomos procurados pelo pastor para dar anuência para referida construção. Mesmo diante da decisão da organização interna, continuaram a insistir na construção de uma igreja evangélica”, disse em entrevista ao portal UOL.

Em nota, a Assembleia de Deus informou que não tem responsabilidade sobre a construção da estrutura demolida pelos indígenas. A Assembleia reconheceu que não há autorização para a obra. “Por não haver consenso entre os moradores sobre a importância da construção, não há autorização das autoridades para que a obra fosse erguida”, informou. A Assembleia de Deus concluiu que “não incentiva e nem vai construir nenhum templo na região sem as devidas autorizações legais”.

Fonte: UOL

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.