“Fui chamado de macaco depois que passei a criticar Bolsonaro”, diz youtuber ex-apoiador do presidente

APOIE O NOTÍCIA PRETA
O youtuber Hícaro Teixeira diz se envergonhar de ter combatido cotas e pregado o voto em Bolsonaro

Após se dizer contra as cotas e apoiar a campanha de Jair Bolsonaro a presidência, o youtuber Hícaro Teixeira declarou sentir vergonha edisse que vem sendo atacado com insultos racistas e até ameaças de morte por parte dos antigos aliados.

Aos 27 anos Hícaro não tem emprego fixo, mora com os pais em Brasilia e sua principal fonte de renda é o seu canal no YouTube, que perdeu aproximadamente 12 mil seguidores após o “rompimento” com o presidente. Hoje, quem acessa seu canal não encontra mais vídeos em que ele defende o presidente da República.

Reprodução
Reprodução
Reprodução

Em entrevista ao BuzzFeed News o jovem assume ser um bolsominion arrependido: “Fiquei com vergonha e apaguei muita coisa”. E continua: “Também percebi que a juventude que foi levada por Bolsonaro se radicalizou durante a eleição, mas somos, na verdade, progressistas, queremos nossas liberdades e ter confiança na democracia”, disse o rapaz que garantiu ter mudado sua visão sobre cotas e passou a ver os apoiadores de Bolsonaro como “supremacistas”.

Hícaro registrou boletins de ocorrência contra alguns dos internautas que proferiram as ofensas raciais.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.