Festival Feira Preta encerra nesta sexta com show de Liniker

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nesta sexta-feira (10) será o último dia do Festival Feira Preta, o maior evento de cultura negra da américa latina. Em seu encerramento, a programação vai desde o lançamento do programa “Pretas Potências” ao “Preta Sonora”, com show da cantora Liniker.

Liniker é a atração do encerramento da Feira Preta 2021 – Foto: Divulgação

Na sua 20° edição, e realizado pela segunda vez de forma 100% virtual, devido a pandemia, o o tema desta edição é “Existe um futuro preto e não se constrói sozinho”. Com mais de 200 profissionais negros envolvidos na produção e 100 conteúdos disponibilizados, a programação do último dia começa às 12h, com a Preta Gourmet Week – Visitando restaurantes e Conhecendo Novas Receitas.

Em seguida, a partir das 17h, será o lançamento do projeto Pretas Potências, uma parceria entre o Instituto Feira Preta, Instituto Alok e cerveja Black Princess. A mesa terá a presença do Dj Alok, da fundadora da Feira Preta e CEO da PretaHub, Adriana Barbosa, e Thamara Pinheiro, Diretora de Relações Sociais do Clube de Criação Co-fundadora da Auê – Hub Criativo de Impacto e Inteligência Cultural e Redatora na Gut São Paulo. O programa tem o intuito de auxiliar negócios digitais liderados por mulheres negras e afro-indígenas na área da economia criativa digital.

De acordo com Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta e CEO da PretaHub, o Pretas Potências foi lançado na feira em comemoração aos 20 anos do evento, e teve como base para criação o seu livro, que leva o mesmo nome do programa. “Cada uma das selecionadas receberá um aporte financeiro de R$20.000,00, e fará parte de uma comunidade de aprendizado com ciclo de mentorias digitais e uma rede de parcerias com mulheres negras empreendedoras”, disse Adriana.

Segundo a CEO da PretaHub, a parceria entre as instituições vem desde o início do ano, fortalecendo institucionalmente e colaborando para a realização de ações. “Foi o Instituto Alok quem nos aproximou, há alguns meses, da cerveja Black Princess para pensarmos em um projeto que pudesse revelar e apoiar mulheres pretas potências que empreendem na área da economia criativa”. Ela continuou demonstrando interesse em ter uma segunda edição do Pretas Potências. “Esperamos que sim, vamos trabalhar para isso, para que tenha continuidade”, concluiu Adriana Barbosa.

Adriana Barbosa é fundadora da Feira Preta e CEO da PretaHub – Foto: Editora Globo

Com inscrições abertas a partir desta sexta-feira (10) até dia 20 de janeiro de 2022, a iniciativa busca selecionar até 20 mulheres negras e afro-indígenas de todo Brasil para terem um suporte de R$20 mil, além de um ciclo de mentorias, aceleração digital do negócio e uma rede com mulheres negras empreendedoras.  

Ao todo, na primeira edição do projeto, contempla-se novas mídias, design e fabricação digital, tecnologia e música. Podem participar negras e afro-indígenas empreendedoras, com idade de 18 até 30 anos, atuantes na economia criativa digital em qualquer lugar do Brasil. A inscrição pode ser realizada através deste link.

Também nesta sexta-feira, acontece o bate papo “TODES – Conversando Sobre Direitos Humanos e Comunidades LGBTQIA +” com mediação da ativista Neon Cunha e da Diretora de Programa – Anistia Internacional Brasil, Alexandra Montgomery. O diálogo ocorre no mesmo dia em que se celebra o Dia Internacional dos Direitos Humanos e vai abordar a violação dos direitos humanos dos membros da comunidade LGBTQIA + no Brasil e Reino Unido.

Leia também: “Self made” é aula de black money e afroempreendedorismo; aprenda 7 lições com a Madam C. J. Walker

Para o curador da programação TODES do Festival Feira Preta, que ao todo tem sete ações no evento, Daniel Usaquén, é importante trazer pessoas negras para falar sobre a temática  LGBTQIA +. “O Feira Preta é também uma plataforma da luta pelos direitos dos negros e indígenas LGBTQIA+, por isso que o festival traz inteligências pretas para conversar e informar sobre essas pautas, como os direitos humanos e o papel da música e da arte no ativismo antirracista e pela diversidade”, informou Daniel.

Outros parceiros LGBTQIA+ do Festival Feira Preta são a apresentadora Bielo Pereira, o Coletivo Amem, a Plataforma Pxussy Palace (Reino Unido) e a artista visual Danielle Braithwaite-Shirley (Reino Unido). A programação LGBTQIA+ é produto da parceria do Festival Feira Preta e o British Council.

O Festival encerra a programação dos seus 20 anos, ao som da compositora, cantora, atriz e artista visual brasileira Liniker. A apresentação segue as demais ações do evento e ocorre de forma virtual a partir das 21 horas com transmissão pelo Facebook, Instagram e Youtube da Feira Preta.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.