Estudo mostra que algoritmo do Twitter tende a eliminar negros e homens das fotos

APOIE O NOTÍCIA PRETA
A rede social realizou o estudo e divulgou na última quarta-feira (19) – Foto: Reprodução

Um estudo realizado pela rede social Twitter, concluiu que o algoritmo responsável por controlar o corte de fotos na plataforma tende a excluir negros e homens das imagens que circulam no canal. O levantamento foi realizado após críticas dos internautas que perceberam que as postagens com imagens de negros são frequentemente excluídas. A pesquisa foi publicada na última quarta-feira (19), através do blog da divisão de engenharia da rede. Três pesquisadores especializados em máquinas conduziram a pesquisa e apontaram uma diferença de 8% em favor das mulheres e de 4% em relação a pessoas brancas. 

Leia também: Twitter muda recorte de fotos após mais uma acusação de racismo em algoritmos

Segundo eles, o possível motivo dos cortes estão em problemas com fundo de imagem e cor dos olhos. “O corte de imagem baseado em aprendizado de máquina é fundamentalmente falho porque remove a capacidade do usuário e restringe a expressão de sua identidade e seus valores, em vez de impor um olhar normativo sobre qual parte da imagem é considerada mais interessante”, escreveram.

Além dos cortes de negros e homens nas fotos, os pesquisadores também ponderaram que os cortes favoreciam os corpos das mulheres. Para combater o problema, o Twitter começou a mostrar fotos na íntegra, sem qualquer corte, em seus dispositivos móveis.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.