“Estou libertada. Estou livre”, diz Madalena, resgatada de trabalho análogo à escravidão, ao comemorar o primeiro aniversário

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Depois de passar 38 anos em situação análoga à escravidão, Madalena Gordiano comemorou seu primeiro aniversário no último domingo (11), em Patos de Minas (MG).

Depois de 46 anos, Madalena comemora seu primeiro aniversário – Foto: Reprodução Fantástico

Desde os oito anos de idade que Madalena trabalhava na casa do professor Dalton Rigueira. Emocionada com a comemoração, Madalena ressaltou a importância da liberdade que sente atualmente. “Nunca fui feliz assim. Antes eu era triste. Muito triste. Hoje eu sinto que estou bem. Coração limpo. Estou libertada. Estou livre”, disse ela em entrevista ao Fantástico.

Vida nova

Após ser libertada, Madalena começou se dar o direito de fazer algumas coisas que, no tempo de cárcere, não era autorizada a fazer, inclusive autocuidado. “Não podia fazer unha, passar um esmalte vermelho. Hoje eu já passo vários esmaltes e tenho três cabelos”, enfatiza. Além disso, Madalena conheceu a praia pela primeira vez e voltou estudar.

O caso

Madalena Gordiano foi “adotada” pela família Rigueira. No entanto, ela viveu 38 anos realizando trabalhos domésticos para duas famílias sem jamais ter estudado ou recebido salários, folgas, 13º salário, etc. Em novembro de 2020, o Ministério Público do Trabalho (MPT/MG) abriu uma investigação para acompanhar o caso.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.