Empresas do Reino Unido se unem em campanha para oferecer 10.000 vagas para trainees negros

APOIE O NOTÍCIA PRETA

No Reino Unido, uma iniciativa corporativa com política de ação afirmativa chama atenção: a campanha “#10000BlackInterns”, que projeta recrutar 10.000 estagiários negros. O programa oferecerá experiência de trabalho remunerado em uma ampla gama de setores, proporcionando desenvolvimento profissional para a comunidade negra do país.

Os negros de origem africana e caribenha representam 3% da população do Reino Unido, de aproximadamente 66 milhões de habitantes. A iniciativa #10000BlackInterns é uma ampliação da campanha “#100BlackInterns”, fundada em agosto de 2020 por três executivos negros e um branco, Dawid Konotey-Ahulu, Michael Barrington-Hibbert, Wol Kolade e Jonathan Sorrell.

A campanha “#10000BlackInterns” projeta recrutar 10.000 negros. Foto: Getty imagens

A nova campanha vai unir 20 empresas para oferecer pelo menos 100 estágios, por ano, durante cinco anos, proporcionando ao todo 10.000 estágios a jovens negros. O banco Credit Suisse, a consultoria PricewaterhouseCoopers e o escritório de advocacia Linklaters estão entre as maiores firmas a aderir ao compromisso.

No Brasil, iniciativas como essa são menores e pontuais. Para Milena Rodrigues, profissional de Recursos Humanos e criadora de conteúdo, a açãoafirmativa no recrutamento das corporações fazparte da estratégia de inovação delas e é uma tendência no mercado mundial. “As empresas estão cada vez mais tentando oferecer valores. Hoje, não incluir minorias, como as pessoas negras, é perder dinheiro. Além do recrutamento inclusivo, é importante haver um suporte psicológico e de afirmação da equidade, pois infelizmente há racismo no âmbito organizacional, e as pessoas negras selecionadas precisam estar seguras”, explica ela. 

As empresas do Reino Unido que aderirem à campanha #10000BlackInterns se comprometem a oferecer vagas para trainees negros com remuneração de um salário mínimo, valor a depender da localidade, com início no inverno de 2021/2022 e/ou no verão de 2022. A intenção é repetir o programa até 2025.

Para se candidatar às vagas, os jovens negros precisam ser graduandos ou recém-graduados deuma universidade do Reino Unido. As inscrições podem ser feitas pelo site da campanha, que distribui os currículos para as empresas. 

APOIO-SITE-PICPAY

Samily Loures

Baiana em terras capixabas, é formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo). Com atuação em publicidade social e pesquisa em Identidade Negra, acredita que a comunicação pode ser instrumento de mudanças sociais. Apesar de militante e sagitariana, consegue levar a vida com serenidade. E deboche.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.