Deputado que quebrou placa do Dia da Consciência negra recebe “censura verbal” do conselho de Ética da Câmara

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (22) aplicar a censura verbal no deputado Coronel Tadeu (PSL/SP) por ter quebrado a placa em uma exposição na Câmara Federal, em 2019. A placa continha o título O Genocídio da População Negra e exibia um homem negro baleado e um policial com uma arma na mão. 

Em 2019, Coronel Tadeu quebrou a placa em homenagem ao Dia da Consciência NegraFoto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

Por 12 votos a favor e 5 contra, o parecer do deputado João Marcelo Souza (MDB/MA) foi aprovado e prevê que a censura verbal deve ser aplicada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), em sessão plenária, ou pelo presidente da comissão, durante reunião. “Apesar de ter danificado parte de uma exposição que celebrava o dia da consciência negra, não restou demonstrado que o representado pretendeu com sua conduta menosprezar ou discriminar a população negra como um todo”, diz o parecer.

Leia também: Deputado Coronel Tadeu (PSL) destrói quadro na Câmara

A representação contra o deputado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), acusando de racismo e quebra de decoro parlamentar. Em nota, o partido diz que Coronel Tadeu cometeu o crime de racismo e “reforça as estatísticas de uma cultura racista e de violência doméstica contra a população negra”, afirma. 

O deputado se defendeu, dizendo que “agiu no calor da emoção” e entendeu, à época, que o quadro fazia associação da atividade policial à criminalidade. 

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.