COTAS SIM: queremos acessar a universidade!

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por Rozana Barroso*

Este ano a Lei de Cotas (Lei 12.711, de 2012) completa 10 anos. Quando ela foi criada, eu tinha apenas 12 anos e fazer um curso superior ainda era um sonho distante. Mas a importância desta lei cresceu comigo. Eu vi famílias mudarem para melhor com a entrada de um parente na faculdade, vi uma mudança na pluralidade da própria Universidade e pela primeira vez me reconheci nela e entendi que este também era um espaço que precisava ser ocupado.

Foto: Freepik

Ainda não somos a maioria na Universidade. Segundo o Censo da Educação Superior 2019, feito pelo Inep, os brancos ainda são maioria nas universidades públicas e privadas (42,6%). O povo preto representa ainda 7,1%. Mas estamos ocupando os nossos espaços e apresentando tanto para o mundo acadêmico como para o mercado de trabalho toda a nossa potência. A Lei de cotas é necessária para que este número continue crescendo.

Leia também: Operação Resgate já

E porque reforço a importância da Lei de Cotas? Isso porque no seu aniversário de 10 anos a lei voltará ao Congresso para ser revisada por deputados e senadores. Por isso, desde já precisamos ficar atentos aos debates e participar ativamente para que as cotas, tão importantes para o avanço de nosso país, não sejam alteradas e nem descartadas. Você sabia que já existem projetos que pedem para tirar a questão etinico-racial da Lei? Assim como há projetos positivos que pretendem transformá-la em uma política pública permanente.

A Lei de Cotas prevê que 50% das vagas em universidades e institutos federais sejam direcionadas para pessoas que estudaram em escolas públicas, deste total a distribuição das vagas da cota racial e deficiência é feita de acordo com a proporção de indígenas, negros, pardos e pessoas com deficiência da unidade da Federação onde está situada a universidade. É importante reforçar que as cotas são uma reparação histórica para o nosso povo. É ponto fundamental para o crescimento de todo o país como nação. 

Precisamos ficar atentos a este debate e participar ativamente pressionando deputados e senadores. Estão discutindo o nosso futuro e ninguém vai tirar a educação do nosso povo!

Rozana Barroso, ativista da educação e presidente da UBES

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.