Coronavírus: Com quase metade de sua população autônoma, renda da favela reduz 70% e Governo propõe auxílio de R$300

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Mais da metade das 13 milhões de pessoas que vivem em favelas por todo o Brasil já tiveram sua renda reduzida devido às restrições impostas pela pandemia do Covid-19. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva/ Data Favela, divulgada nesta quarta-feira (25), sete em cada dez famílias brasileiras que vivem em favelas, já sentem no bolso os efeitos econômicos do coronavírus. Ao todo, o Instituto entrevistou 1.142 pessoas neste mês de março em 262 favelas de todas as regiões do Brasil. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Sem um plano do governo focado especificamente na realidade desta população, o Governo Federal propôs um auxílio de R$300 para os trabalhadores autônomos, que representam 47% dos moradores de favelas, e para os informais.

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, informou nesta quarta-feira o aumento do valor do auxílio que inicialmente seria de R$ 200, valor já anunciado pela área econômica, para R$ 300.”Acho que vão aumentar para 300, não tenho certeza”, declarou Sachsida, durante videoconferência com investidores promovida por uma corretora.

O cenário econômico de crises e recessões esperado para o Brasil não é diferente do resto do mundo. Por este motivo, líderes de todo mundo estão criando estratégias para proteger o lado mais fraco desta história, que é o trabalhador.

Líderes de todo mundo elaboram estratégias para proteger seus trabalhadores

Nos EUA, a maior parte dos cidadãos norte-americanos receberão auxílios de 1.200 dólares por adulto e 500 por menor de idade. O projeto prevê também mudanças na concessão do seguro desemprego e ajuda aos estados, além de prover centenas de bilhares de dólares em empréstimos para pequenas, médias e grandes empresas.

Já o Reino Unido anunciou três pacotes de estímulo à economia no valor total de 418 bilhões de libras, cerca de R$ 2,5 trilhões. Os recursos servirão para ajudar as empresas de todos os portes — está suspensa toda e qualquer cobrança de imposto sobre valor agregado (IVA) para o comércio, mas, sobretudo para o trabalhador. Serão garantidos 80% dos salários até o limite de 2.500 libras por mês (ou R$ 14,8 mil). Os trabalhadores autônomos terão um prazo maior para pagar os seus impostos.

Na Itália, o país mais atingidos pela crise, o governo optou por expandir o sistema de bem estar social e apoiar os trabalhadores. O governo italiano pagará mais de 500 euros (R$ 2,700) para cada trabalhador autônomo além de subsidiar temporariamente os salários de parte daqueles que forem demitidos.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.