“Ainda estamos bem lentos em igualdade”, diz atriz Vilma Melo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Primeira mulher negra a conquistar a categoria melhor atriz no Prêmio Shell de Teatro com o espetáculo ‘Chica da Silva’ em 2017, Vilma Melo avalia o cenário da arte no Brasil ainda com muita desigualdade em oportunidades para os artistas negros.

“Eu tenho 32 anos de carreira e acho que ainda estamos bem lentos nessa questão da igualdade. Estamos lutando e trabalhando muito para que isso mude. A gente consegue ver uma cena preta muito presente, principalmente nos últimos dois anos. Esse ano a gente tem um cardápio variado de peças”, destacou a atriz.

No entanto, Vilma ressalta a trajetória dos artistas pretos no Rio de Janeiro, uma vez que estamos no mês da Consciência Negra. “Hoje eu penso que o prêmio Shell coroou não só a Vilma, mas toda uma determinada classe artística que não tinha pisado naquele palco até então. Uma classe que não era só preta, mas também os trabalhadores operários de teatro”, reconheceu.

Aos 50 anos, Vilma não para. Ela está no ar na série ‘Segunda Chamada’ da TV Globo, mas também pode ser vista no cinema com o filme ‘Três Verões’, estrelado por Regina Casé. 

“Esse filme estreou agora e está rodando pelos festivais. A Regina Casé é uma aula. É incrível vê-la em cena. Com ela, coisas pequenas se tornam enormes. Você aprende muito observando”, enaltece a artista.

Presente também na internet, Vilma também está na web série ‘Onde Está Mariana?’, que fala sobre feminicídio, no curta ‘Prefiro Não Ser Identificada’. É uma intensa atividade artística, já que a atriz estreou recentemente o espetáculo ‘Noite do Sorriso Negro’, na Arena do Sesc Copacabana, em comemoração pelo mês da Consciência Negra. 

“Somos oito pessoas negras (de matizes e origens diversas, certamente não somos da mesma tribo), temos artistas de circo, teatro e música, cada um com uma habilidade ou um talento que reunidos formando uma bela equipe. O espetáculo foi concebido em um curto espaço de tempo, e cada participante colaborou com as suas melhores aptidões. Somos todos pretos, então… tudo que possamos fazer naquele picadeiro… é coisa de preto! E esse é o nosso princípio”, pontuou a atriz. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.