“Tenho três alternativas para o meu futuro: preso, morto ou a vitória. A primeira não existe”, diz Bolsonaro em nova ameaça golpista

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, na manhã deste sábado (28), durante o 1° Encontro Fraternal de Líderes Evangélicos de Goiás, que não deseja causar ruptura, mas que “tudo tem limite”. Sem máscara, ele causou aglomeração ao cumprimentar apoiadores e declarou que tem três alterativas para o futuro: estar preso, morto, ou obter “vitória”.

Temos um presidente que não deseja nem provoca rupturas, mas tudo tem um limite em nossa vida. Não podemos continuar convivendo com isso”, disse Bolsonaro durante evento evangélico.

Bolsonaro voltou a sugerir que não aceitará o resultado das eleições de 2022 caso seja derrotado. Para isso, projetou três alternativas para seu futuro: “Estar preso, ser morto ou a vitória”. Ele também já disse mais de uma vez que só Deus o tira da cadeira de presidente.

“Eu tenho três alternativas para o meu futuro: estar preso, estar morto ou a vitória. Pode ter certeza que a primeira alternativa não existe. Estou fazendo a coisa certa e não devo nada a ninguém. Sempre onde o povo esteve, eu estive”

afirmou

Leia também: “A gente não têm medo de prisão”, afirma Eduardo Bolsonaro ao atacar STF

Ao lado de líderes evangélicos, o presidente discursou por cerca de 20 minutos. No fim, disse: “Deus me colocou aqui, e somente Deus me tira daqui”, repetindo uma frase já comum em declarações do presidente.

Bolsonaro voltou a repetir a tese de que as urnas eletrônicas são passíveis de fraude —embora ele próprio tenha dito à Justiça que não tem provas disso. Apesar das alegações de Bolsonaro, nunca houve registro de fraude eleitoral no Brasil desde que a urna eletrônica passou a ser usada.

Uma fraude no voto eletrônico é improvável porque dependeria de uma combinação de violações de segurança que dificilmente aconteceria. E o resultado das eleições pode, sim, passar por auditoria.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.