Ícone do site Notícia Preta

Polícia disparou 1.514 tiros em chacina no Complexo do Salgueiro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A chacina no complexo do Salgueiro terminou com um saldo de 9 pessoas mortas e, ao todo, foram 1.514 tiros disparados por agentes do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ), depois de 33 horas de intervenção. A informação é da Rede Globo, com base nos boletins de ocorrência do caso.

O tiroteio aconteceu no último sábado (20) no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ), onde foi registrado cerca de 1 tiro a cada 1 minuto e 18 segundos. A ação foi iniciada após duas horas da morte de Leandro Rumbelsperger, sargento atingido em campo. 

A atuação policial teve início às 8h do sábado (20) e terminou às 19h do domingo (21), contando com a participação de 22 policiais: 10 sargentos, 11 cabos e 1 capitão. Até o momento, foi registrada a morte de 9 pessoas que foram encontradas em um mangue, sendo sete delas atingidas na cabeça, e outras seis com mais de cinco tiros, segundo o Instituto Médico-Legal (IML). Uma das vítimas apresentou 9 tiros em seu corpo. 

Leia também: Laudos das vítimas assassinadas na chacina do Complexo do Salgueiro apontam: 44 tiros no olho, nas costas e fraturas em crânios

Moradores relataram que policiais realizaram um churrasco antes e após a chacina em um espaço chamado Piscina Bar, local sem atividade há meses e privado. A utilização do espaço não foi autorizada, além disso, os PMs escreveram diversas frases com giz no local, uma delas foi “Obrigada pela recepção”, assinada pela equipe Delta do Bope. “Ass (Delta) force. Bonde dos caça siri. Variante (Delta)”

Os moradores apontam também a equipe Delta como responsáveis pelo crime, pois eles estavam atuando na região do mangue, local onde os corpos foram encontrados. 

Leia também : Pelo menos 501 estudantes do Complexo do Salgueiro não fizeram ENEM; DPU pede reaplicação da prova

Em outro local, que também foi riscado, os polícias fizeram menções à maior milícia do Rio, a Bonde do Eco, que administra o grupo Paramilitar e o Terceiro Comando Puro (TCP), facção rival ao Comando Vermelho, que lidera o crime organizado no Complexo do Salgueiro. 

Entre os mortos estão: Kauã Brenner (17 anos/9 tiros) Rafael Menezes(28 anos/ 6 tiros), Carlos Eduardo (31 anos/6 tiros), Jhonata Klando (28 anos/5 tiros), Élio Da Silva( 52 anos/3 tiros), Douglas Vinicius (27 anos/1 tiro),David Wilson(23 anos/5 tiros),Igor da Costa (24 anos/2 tiros), Ítalo George ( 33 anos/ 6 tiros). O total foi 44 tiros para 9 vítimas. 

Sair da versão mobile