Mais da metade dos jovens das favelas do Rio entre 18 e 24 anos estão desempregados, diz pesquisa

carteira-de-trabalhou.jpg

Carteira de trabalho digital.

Uma pesquisa feita pela Secretaria Especial da Juventude Carioca mostra que 51% dos jovens entre 18 e 24 anos das favelas do município do Rio, estão desempregados. O estudo foi divulgado na última sexta-feira (13), e foi realizado por 400 jovens em 42 favelas, integrantes do Pacto Pela Juventude, projeto da JUV Rio com a Unesco de formação de líderes locais.

Foram 5.775 entrevistas entre fevereiro e abril dete ano. O nível de escolaridade também foi um dos fatores abordados pela pesquisa, que revelou que 60% dos entrevistados completou o ensino médio, mas apenas 2% completou a pós graduação, e 8% completou o ensino superior.

Já quem completou o fundamental II (6º ao 9º ano) representa 7% , e 11% dos entrevistados completou o Fundamental I (1º ao 5º ano), e 2 2% não respondeu. Sobre as taxas de emprego, o relatório revela que a porcentagem é maior entre os mais jovens, mas que vai diminuindo de acordo com que a idade vai aumentando:

Advertisement
  • Entre 14 e 17 anos – 88%
  • Entre 18 e 24 anos – 51%
  • Entre 25 e 34 anos – 33%
  • Entre 35 e 44 anos – 27%
  • 45 ou mais anos – 33%
O relatório revela que a porcentagem vai diminuindo de acordo com que a idade vai aumentando/ Foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil

Com relação ao acesso a internet nas favelas cariocvas, 78% dos entrevistados possui acesso, enquanto 6% não tem acesso, e 16% não respondeu. No recorte etário de jovens, entre 15 a 29 anos 81% tem acesso a internet. Perguntadas de onde acessam, 75% do total acessa a internet pelo celular, 3% por celular e computador, 2% pelo computador. Já 1% acessa por outros dispositivos, e 18 % não respondeu. Entre jovens de 15 a 29 anos, 76% acessa pelo celular.

Advertisement

A principal resposta para maiores problemas socioambientais percebidos pelos entrevistados está: Emprego (21%), esgoto a céu aberto (13%), falta de coleta de lixo (11%), falta de água (10%), falta de luz (6%), falta de posto de saúde(6%), mobilidade/mobilização(6%), falta de escola/creche(5%) e não respondeu (21%).

Perguntados se frequentam atividades de lazer e/ou cultura dentro ou fora do seu território, 27% respondeu que frequenta dentro e fora, 26% frequenta dentro do território, 13% fora do território e 35% não respondeu. Entre jovens de 15 a 29 anos, 30% frequenta atividades dentro e fora, 25% dentro do território, 15% fora do território e 30% não respondeu.

Clique aqui para ter acesso ao relatório completo da pesquisa.

Leia maias notícias: Por que o PIB cresce e eu não fico rico?

Thayan Mina

Thayan Mina

Thayan Mina, graduando em jornalismo pela UERJ, é músico e sambista.

Deixe uma resposta

scroll to top