Jovem negro é atropelado e morto por modelo branco e imprensa dá mais destaque ao assassino do que à vítima

APOIE O NOTÍCIA PRETA

João Gabriel Cardim Guimarães, morto após ser atropelado pelo modelo Bruno Krupp, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, era um menino de 16 anos que, segundo relato de parentes e amigos, gostava de ajudar as pessoas e era companheiro dos amigos. João também era um dos melhores alunos da escola. O adolescente estudava em uma escola técnica (Sesi/Senai) e fazia curso de técnico de jogos digitais. No ano passado, chegou a receber parabenizado na rede social do antigo colégio por passar na prova em que conquistou a vaga para o ensino médio. João Gabriel passou com excelentes notas, e por isso, ganhou todo o material escolar.

Débora Cardim, tia de João Gabriel, disse que o jovem estava a dois passos da calçada antes de ser atropelado pela moto do modelo e influenciador Bruno Krupp, de 25 anos, na noite do sábado (30), na Barra da Tijuca. João Gabriel atravessava a faixa de pedestre na Avenida Lúcio Costa, junto com a mãe, Mariana Cardim, quando a moto de Bruno atingiu em cheio o adolescente.

“Ele estava em alta velocidade, tão em alta, que arrancou a perna do meu sobrinho na hora. A perna foi parar vários metros depois. As câmeras do local vão mostrar isso. Minha irmã estava com ele, como sempre estava, e ficou enlouquecida. Só sabia pedir socorro”

contou Débora Cardim

Ao repercutir o atropelamento que levou a morte de um jovem negro, muitos jornais e portais de notícias focaram em saber quem era o assassino. Um jovem loiro, modelo, morador de uma cobertura de frente para a praia em um bairro nobre do Rio. Em uma busca rápida em motores de busca, usando o nome da vítima, é possível perceber que a maioria das matérias possuem a foto e o nome do modelo e não da vítima.

atropelado
Em uma busca rápida pelo nome da vítima no Google imagens encontramos mais imagens do modelo que atropelou o jovem do que fotos de João Gabriel

LEIA TAMBÉM: EUA: Homens brancos que assassinaram jovem negro que se exercitava são condenados à prisão perpétua

A mãe do estudante atropelado, a assessora jurídica Mariana Cardim de Lima, acompanhava o filho único no momento do acidente. A família havia participado da comemoração de um aniversário em um salão de festas próximo e resolveu atravessar para ir até a praia. Foi quando João Gabriel faleceu.

O tio de João Gabriel, Demetrius Venceslau, usou as suas redes sociais para lamentar a morte do sobrinho. Ele publicou uma foto ao lado do sobrinho e escreveu:

Era meu único sobrinho e provavelmente o último. Assim encerra um ciclo de um anjo na terra, que tive a oportunidade de ver crescer. Nasceu em 2005 e eu chorei quando vi sua foto. As relações familiares eram estremecidas, a mãe do João, sem saber (ou sabendo ), foi o elo que aproximou e transformou um pouco a minha família. Vi sorriso no rosto da minha mãe e do meu pai que foram hospitaleiros quando ele veio“, lamentou o tio.

Bruno Krupp, foi preso nesta quarta (03), em um hospital onde passará por um cirurgia. O modelo reclamou do tratamento que estaria recebendo no hospital onde está internado, no Rio de Janeiro.

No vídeo,divulgado pela TV Globo, Krupp afirma que estão agindo “como se ele tivesse feito alguma coisa errada” e chamando-o de “assassino”.

“Eu não bebi, eu não usei droga, foi um acidente, gente!”, declarou.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.